Início / Artigos / Internacional / França, Portugal, Espanha e Itália bloqueiam passagem do avião de Evo Morales que tem que fazer um pouso de emergência e fica refém durante 15 horas num aeroporto da Áustria

França, Portugal, Espanha e Itália bloqueiam passagem do avião de Evo Morales que tem que fazer um pouso de emergência e fica refém durante 15 horas num aeroporto da Áustria

A Bolívia denunciou o “sequestro” de seu presidente Evo Morales, impedido de decolagem de Viena, Áustria, onde fez um pouso de emergência ontem à tarde, depois da França e Portugal, em primeiro lugar e, em seguida, Itália e Espanha, se recusarem a autorizar o uso de seu espaço aéreo e aeroportos.  O vice-presidente Álvaro Garcia Linera denunciou, em La Paz, a violação da Convenção de Viena e pediu expressões de repúdio internacional.

“Queremos dizer aos bolivianos, dizer ao mundo que o presidente Evo Morales, o nosso presidente, o presidente boliviano, está sequestrado hoje na Europa, queremos dizer às pessoas do mundo que o presidente Evo Morales foi raptada pelo imperialismo e está retido na Europa.” García Linera denunciou o sequestro durante uma coletiva de imprensa no Palácio Presidencial, em La Paz.

Acompanhado pelo gabinete como um todo, na sua qualidade de presidente boliviano em exercício, Garcia Linera também denunciou a violação flagrante da Convenção de Viena sobre os voos oficiais e da utilização do espaço aéreo e aeroportos, previamente consentido.

O vice-presidente lamentou a política de Paris e Lisboa, assim como de Roma e Madrid de impedir, depois de autorizar, a entrada do avião presidencial no espaço aéreo e reabastecimento do avião. Isto colocou em risco a vida de Morales, que ficou rodando 3 horas e meia sem poder pousar e reabastecer. Evo vinha de Moscou, onde participou de uma cúpula dos países exportadores de gás. Teve que fazer um pouso de emergência em um aeroporto de Viena, Áustria.

“Em violação absoluta da Convenção de Viena, que afirma que os voos dos presidentes do mundo não podem ser bloqueados e tem imunidade, alguns governos europeus proibiram o avião de Evo Morales de penetrar em seu espaço aéreo,” denunciou  García Linera.

Evo Morales relatou ainda uma tentativa de chantagem, feita por um diplomata da Espanha, em que queriam revistar a aeronave oficial  por que os Estados Unidos “achava”  que o ex-espião da CIA, Edward Snowden , que revelou as ações de espionagem do governo dos EUA, estivesse a bordo do avião. O vice-presidente boliviano denunciou que Evo “é o primeiro governante refém do império”.

O imperialismo raptou o presidente Evo, o imperialismo raptou a verdade, a mentira raptou verdade imperial dos povos abuso imperial raptou a dignidade dos povos. Potências estrangeiras novamente, como fizeram há 500 anos maltratando, agredindo o povo boliviano, abusando, atacaram e ofenderam o primeiro presidente indígena da América Latina“.

Sabemos que essa obstrução da viagem do presidente Evo foi instruída pelo governo dos EUA, o governo dos EUA está com medo de que um camponês, um medo nativa, o medo de um homem honesto que defende a soberania do nosso pátria“.

Finalmente, García pediu à “classe trabalhadora internacional, aos camponeses e jovens do mundo, para repudiar a ação contra Morales, que vai contra os princípios regular a convivência pacífica e democrática entre os povos.

Apelamos aos povos da América Latina, os governos progressistas para agir. Nós pedimos que os povos da América Latina, os governos latino-americanos para tomar posição sobre este abuso. Hoje, é a América Latina que está sendo pisoteada, não apenas a Bolívia, o menor país, mas mais lutador sacrificado do continente.”

O governo da Venezuela imediatamente tomou posição com Maduro declarando: “Confirmo a solidariedade com Evo, e a Venezuela com dignidade responderá esta agressão perigosa, desproporcional e inaceitável. Estou em contato com Evo. Por causa da obsessão imperial foram violadas todas as imunidades internacionais que protegem chefes de Estado“, declarou Nicolas Maduro.

Enquanto isso se desenvolvia durante o dia de ontem as autoridades austríacas invadiram o avião e o revistaram procurando o ex-espião norte-americano.

Com o mais descarado cinismo o jornal O Estado de SP publica como se fosse a coisa mais normal do mundo: “Autoridades austríacas inspecionaram o avião do governo boliviano e não encontraram pessoas sem autorização a bordo, disse nesta quarta-feira o vice-chanceler da Áustria, Michael Spindelegger. “Nossos colegas do aeroporto deram uma olhada e podem garantir que ninguém está a bordo, a não ser cidadãos bolivianos”, disse Spindelegger a jornalistas no aeroporto, acrescentando que os rumores de que Snowden poderia estar a bordo eram falsos.

E a Folha de São Paulo é ainda mais vergonhosa escrevendo que “A comitiva boliviana foi liberada após uma inspeção voluntária feita pelas autoridades austríacas, que viram apenas cidadãos bolivianos dentro do avião”. Para a Folha de SP, invasão após sequestro, do avião presidencial é apenas “inspeção voluntária” feita pelas “autoridades austríacas”, a serviço dos EUA.

A Bolívia afirmou que a decisão da Áustria de inspecionar o avião de Evo foi um ato de agressão e uma violação do direito internacional. O governo brasileiro nem piou. Nenhuma declaração foi publicada até agora.

O imperialismo EUA cada vez mais age como xerife do mundo e não tem limites para sua ação. Só a revolução socialista no mundo pode acabar com isso. Junte-se à Esquerda Marxista para organizar uma corrente revolucionária capaz de ajudar a classe trabalhadora e a juventude a varrer o capitalismo da face da terra.

NOTA de 04/07/2013: Finalmente Dilma se pronunciou sobre o sequestro e considerou o caso inaceitável.

Deixe seu comentário

Leia também...

Tumulto nas relações internacionais

O isolacionista Trump mudou de rumo. Em vez de sua promessa de se manter fora …