Início / Luta de Classes / Formado em São Paulo um Comitê de Luta pela Frente Única

Formado em São Paulo um Comitê de Luta pela Frente Única

Formado em São Paulo o Bandeira Vermelha – Comitê de Luta pela Frente Única em Defesa das Liberdades Democráticas e das Organizações Operárias, Populares e Estudantis

 

Na quinta-feira, 20/06, os militantes de partidos de esquerda, organizações e movimentos sociais foram agredidos e expulsos da manifestação da Avenida Paulista por uma frente única formada por agentes policiais, imprensa burguesa e organizações fascistas e de extrema direita. Sob gritos de “sem partido” e todo tipo de agressão, as bandeiras vermelhas de luta foram forçadamente baixadas, dando lugar a um mar de verde e amarelo. Frente a isso, militantes da Esquerda Marxista chamaram todos os “Vermelhos” que puderam encontrar após a dispersão para uma reunião emergencial de balanço na Livraria Marxista, onde algumas dezenas decidiram então convocar uma próxima reunião mais ampla.

A reunião foi chamada visando debater a nova situação política que se abre no Brasil e convidava “todos os companheiros que defendem as liberdades democráticas e a luta contra a exploração capitalista”. No sábado, 22/06, às 15h, enquanto lá fora acontecia o jogo “Brasil x Itália” pela Copa das Confederações, mais de 100 pessoas compareceram à Livraria Marxista, centro de São Paulo, para debater sobre os rumos de uma disputa muito mais decisiva.

Estiveram presentes militantes do PT, do PSOL, da Esquerda Marxista, anarquistas, independentes e pessoas que nunca militaram politicamente antes, além de dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores Vidreiros do Estado de SP, do Sindicato dos Jornalistas de SP, do Conselho Operário da Fábrica Ocupada Flaskô, e militantes de diversas categorias de trabalhadores, estudantes universitários e secundaristas. Vieram de várias cidades: São Paulo, São Bernardo, Campinas, Osasco, Sumaré, Caieiras, Franco da Rocha, Ferraz de Vasconcelos, Foz do Iguaçu…

O rico debate durou até às 20h, discutindo a nova situação política que se abriu, as táticas da burguesia e a ameaça contra as liberdades democráticas e as organizações da classe trabalhadora, e culminou na conformação, por unanimidade, de um Comitê de Luta pela Frente Única em Defesa das Liberdades Democráticas e das Organizações Operárias, Populares e Estudantis.

Um dos objetivos do Comitê, além de, como o próprio nome diz, batalhar pela frente única de todos os que defendem as organizações da classe trabalhadora e o direito democrático de livre manifestação, é o de combater pela proposta de realizar um grande ato público unitário em defesa das liberdades democráticas e das organizações operárias, populares, estudantis a todas as organizações da classe trabalhadora, partidos de esquerda, centrais sindicais, sindicatos, entidades estudantis, movimentos sociais, organizações populares.

Para tal, foi eleita uma coordenação com 19 membros para organizar as tarefas executivas, como comunicação, divulgação, etc. Esta comissão batizou o comitê com o nome “Bandeira Vermelha” e já criou um blog e uma página no Facebook. Todos os presentes se comprometeram em levar a proposta do comitê recém-formado à reunião chamada para a próxima terça (25/06) em São Paulo, de todos os partidos, centrais e movimentos, que se propõe discutir ações frente a essa situação.

Foi aprovada também a indicativa de formação de Comitês de Autodefesa por local de trabalho, escola, etc., além de conformar comitês de autodefesa dos trabalhadores vidreiros, da Fábrica Ocupada Flaskô e no centro de São Paulo, na Livraria Marxista.

A próxima reunião do Bandeira Vermelha – Comitê de Luta pela Frente Única em Defesa das Liberdades Democráticas e das Organizações Operárias, Populares e Estudantis, será no dia 29 de junho, sábado, às 15h em local a definir. Todos os militantes, organizações e entidades que estão de acordo com esta bandeira estão convidados a participar da reunião no próximo sábado e se somar ao comitê.

Viva a luta dos trabalhadores!

Fascistas, não passarão!

São Paulo, 22 de Junho de 2013

Deixe seu comentário

Leia também...

Greve com ação de massas impede votação de pacote de maldades do prefeito de Curitiba

No final de março, o prefeito de Curitiba Rafael Greca (PMN) enviou para a Câmara …