Início / Artigos / Internacional / Federação Marxista de Estudantes planta a Bandeira Vermelha nos campi universitários por toda a Grã-Bretanha

Federação Marxista de Estudantes planta a Bandeira Vermelha nos campi universitários por toda a Grã-Bretanha

Enquanto se iniciava o novo curso acadêmico, a Federação Marxista de Estudantes esteve em 29 universidades, fazendo a inscrição de centenas de estudantes que estão interessados em construir uma organização apta a lutar por políticas socialistas dentro do movimento estudantil. Além disto, milhares de pessoas se inscreveram para saber mais de nossas atividades. Abaixo apresentamos informes de algumas de nossas intervenções.

Enquanto se iniciava o novo curso acadêmico, a Federação Marxista de Estudantes esteve em 29 universidades, fazendo a inscrição de centenas de estudantes que estão interessados em construir uma organização apta a lutar por políticas socialistas dentro do movimento estudantil. Além disto, milhares de pessoas se inscreveram para saber mais de nossas atividades. Abaixo apresentamos informes de algumas de nossas intervenções.

Glasgow

Tivemos uma barraca autorizada durante um dia na feira dos calouros, e ela se encontrava na marquise do prédio principal da Universidade. Além disto, tínhamos também uma barraca separada, instalada em outra parte do mesmo prédio. Durante todo o dia, os dois postos foram mantidos por camaradas da Sociedade Marxista e de Socialist Appeal.

Devido ao espaço limitado na feira, causado pelo grande número de Sociedades oficiais, a barraca da marquise só ficou conosco na terça-feira, mas na quarta-feira colocamos mais uma barraca separada no prédio principal. Durante os dois dias, vendemos grande quantidade de material marxista a estudantes interessados, incluindo panfletos escritos pelos membros da sociedade, assim como algumas cópias do jornal Socialist Appeal e um par de revistas teóricas de In Defence of Marxism. Também recebemos várias pequenas doações à sociedade (em troca de biscoitos caseiros e bolinhos de manteiga – como ajudaram a atrair as pessoas!). No total, levantamos 45 libras para a sociedade. A principal realização da feira foi o fato de termos inscrito um total de 148 pessoas na sociedade, mais pessoas do que na feira do ano passado.

Em geral, durante os dois dias, houve uma boa receptividade entre os estudantes e muitas pessoas que se inscreveram na sociedade pareciam muito interessadas em comparecer aos nossos atos programados para as próximas semanas.

Após essa tão bem sucedida feira de calouros, tivemos o primeiro evento do semestre na quinta-feira da semana passada. O título do evento foi “O que é o Marxismo e Qual a sua Importância?”, que foi introduzido por Daniel Morley de Socialist Appeal, durante o qual ele deu uma breve mas completa introdução às ideias do Marxismo seguida por uma hora de longa discussão. Depois da discussão, fomos à maratona de pubs, chamada “Red Clydeside Maratona de Pubs”, que envolveu saltar em algumas paradas do Metrô de Glasgow que ficavam perto de locais de interesse socialista histórico e de passadas mobilizações da classe trabalhadora, e discutir brevemente os eventos que ocorreram relacionadas a estas estações, o que considerando a história de Glasgow foi muito legal!

Estes eventos foram muito bem atendidos, com cerca de 40 pessoas participando da discussão, destas 40 pessoas 15 participaram da maratona de pubs. O debate que se seguiu à introdução foi cheio de vida e incluiu pessoas que trouxeram uma ampla gama de temas desde o espiritismo à democracia sob o socialismo. A maratona de pubs foi muito bem recebida, da mesma forma que no ano passado.

Em suma, nosso primeiro evento do semestre foi um enorme êxito, e sugere que os marxistas de Glasgow vão ter um outro ano excelente.

Edinburgh

Tivemos duas barracas na feira de calouros da Universidade de Edinburgh: uma na feira das Sociedades dentro da Universidade, e uma do lado de fora com livros e jornais para os transeuntes. As barracas foram mantidas por membros da Sociedade Marxista e apoiadores de Socialist Appeal. O primeiro dia foi bastante movimentado, e tivemos mais de 60 pessoas inscritas na lista de discussão da sociedade. O segundo dia foi muito mais calmo, mas ainda assim conseguimos inscrever muitas pessoas na sociedade.

Tivemos uma reunião na qual Rob Sewell, editor de Socialist Appeal introduziu a discussão. Esta foi atendida por cerca de 15 pessoas, dez das quais eram novos estudantes.

A discussão foi animada e interessante, com a maioria das pessoas que compareceram a nossa reunião nos acompanhando para alguns drinks depois das discussões. Estamos esperançosos com este novo período como um período em que seremos capazes de interagir com os jovens que se envolveram politicamente durante os meses mais recentes e que estão buscando um caminho a seguir depois do referendo.

Manchester

A feira de calouros de Manchester teve lugar em 16 e 17 de setembro. Membros da Sociedade Marxista e apoiadores de Socialist Appeal estiveram na barraca da feira durante dois dias. Este é o nosso primeiro ano enquanto Sociedade oficial e atraímos um grande interesse e conseguimos atrair exatamente 100 pessoas inscritas na Sociedade durante os dois dias.

No início da noite da quarta-feira, tivemos uma reunião sobre “O que é o Marxismo?” que atraiu cerca de 15 pessoas. Daniel Morley de Socialist Appeal fez uma boa introdução que provocou uma multidão de perguntas e uma animada discussão. Mais tarde, fomos ao pub com cerca de cinco pessoas que pareciam todas muito interessadas em se envolver na construção da Sociedade Marxista no campus.

Estamos planejando montar uma barraca no campus a cada semana para envolver mais pessoas na Sociedade e para iniciarmos grupos de leitura para aqueles que querem ler os textos clássicos do marxismo. Este período em Manchester teve um excelente início!

Portsmouth

Estudantes Marxistas e apoiadores de Socialist Appeal de Southampton, Brighton e Portsmouth ajudaram na realização da feira dos calouros em 17 e 18 de setembro.

Apesar de alguns problemas com a equipe do sindicato dos estudantes mantivemos o espírito elevado e montamos nossa barraca do lado de fora da entrada do campus. Distribuímos panfletos convidando para a reunião sobre “O que é o Marxismo?” a ser realizada no prédio da Universidade e no transcurso dos dois dias conseguimos inscrever em torno de 30 pessoas na Sociedade.

21 pessoas retornaram para nossa primeira reunião na qual Ben Peck de Socialist Appeal fez a introdução. Houve uma interessante discussão e o estado de ânimo foi muito bom. Várias pessoas nos acompanharam ao pub mais tarde para continuar a discussão.

Foi a primeira vez que a Federação dos Estudantes Marxistas teve presença na Universidade de Portsmouth e estamos animados a obter maiores êxitos no futuro.

Sussex

No total, oito membros da Sociedade estiveram presentes durante todo o dia. Com uma boa divisão do trabalho conseguimos uma grande presença na universidade, com dois ou três membros panfletando pela feira e trazendo pessoas interessadas diretamente ao nosso posto.

Foram vendidas aproximadamente 20 libras em livros e revistas, que, embora uma pequena soma, ainda foi muito bom, considerando que a maioria dos calouros de forma geral esperam que lhe seja dado material de forma gratuita nas feiras e assim tendem a não levar dinheiro com eles.

Durante o dia deixamos bem claro que estamos comprometidos em aprender a teoria marxista para nos provermos de um guia para a ação. Em vez de se dissuadirem em vista da disciplina e comprometimento envolvidos, a maioria das pessoas se sentiu mais atraída por nós devido a nossa seriedade, particularmente aquelas pessoas oriundas de países onde a luta de classes está se intensificando. Desta forma, penso que nossa seriedade serviu para dar um caráter notavelmente mais internacional às pessoas que encontramos, com alguns contatos paquistaneses e indianos se tornando muito interessados quando explicamos nossa ligação com a Corrente Marxista Internacional e com o Pakistani Trade Union Defence Campaign (Campanha de Defesa dos Sindicatos Paquistaneses – PTUDC, em suas siglas em inglês).

Armados com panfletos traduzidos, nossa confiança em nos acercarmos mais de estudantes chineses resultou frutífera. Enquanto somos recebidos inicialmente com cautela pelos estudantes cuja compreensão do comunismo se resume ao legado do Partido Comunista Chinês, quando explicamos que o Partido Comunista Chinês não representa o marxismo, fomos capazes de vender um panfleto chinês recém-traduzido sobre a “Longa Marcha da China ao Capitalismo”.

A turbulência da crise econômica na Europa está começando a chacoalhar os países mais estáveis da Europa Setentrional e Escandinávia, dessa forma também nos aproximamos de vários alemães e de dois estudantes suíços muito bons que entusiasticamente propuseram que perseveremos em nossas ideias de um grupo de leitura. Da mesma forma, três islandeses também se inscreveram na Sociedade.

Iniciando as seis horas da tarde com uma discussão introdutória sobre “O Que é o Capitalismo? O que o Socialismo?”, a reunião atraiu aproximadamente 20 pessoas, algumas das quais chegaram tarde ou tiveram que sair mais cedo. A discussão em si transcorreu extremamente bem, com debate sobre o referendo escocês, o conceito de “Capitalismo de Estado” e nossas perspectivas sobre o Estado Operário degenerado na URSS, e uma breve discussão sobre as fábricas administradas comunitariamente em outros países.

Algumas pessoas nos acompanharam ao pub depois da reunião, e todos se engajaram entusiasticamente na discussão e ficaram estimulados em comparecer à Sociedade Marxista na próxima semana. Este é um início muito promissor para a Sociedade neste ano na Universidade de Sussex!

Worcester

Começamos às 11;30 da manhã quando a feira iniciou e nos instalamos perto da entrada da própria feira.

Infelizmente, o sindicato estudantil de Worcester não é muito complacente com a atividade revolucionária de seus alunos e fez tudo que se encontrava em suas mãos para cercear nossas tentativas de inscrever as pessoas na Sociedade Marxista.

Mas, mesmo a despeito disto fomos capazes de inscrever um punhado de alunos à Sociedade e de vender algumas cópias do jornal Socialist Appeal. Não há como deter a força da Federação de Estudantes Marxistas!

Queen Mary, Universidade de Londres

Na quarta e na quinta-feira ocorreu a feira em Queen Mary (Londres). Os membros da Sociedade Marxista e apoiadores de Socialist Appeal inscreveram 110 pessoas à lista da Sociedade em dois dias. Tivemos duas barracas montadas – uma dentro da feira e outra na entrada do campus.

Em relação ao ano passado, mais alunos pareciam genuinamente interessados e entusiasmados sobre discutir as ideias do Marxismo e construir a Sociedade no campus.

Gastamos dois dias para vender a última edição da Carta Vermelha – o boletim dos Marxistas de Queen Mary – e colocar cartazes em torno da universidade.

Confiamos que será construída uma próspera Sociedade Marxista este ano em Queen Mary – nossa primeira reunião na próxima quinta-feira pode ser um grande êxito.

Kings College, Londres

A feira dos calouros do KCL (Kings College, Londres) concluiu agora e estamos muito satisfeitos em anunciar que mais de 240 novos alunos se inscreveram na mala direta da Sociedade. Todos foram convidados a tomar uns drinques depois que a feira terminou e já identificamos certo número de alunos que estão interessados em nos ajudar a construir a Sociedade Marxista de KCL neste ano.

O biênio 2013/2014 foi sem dúvida uma curva de aprendizagem para nossa jovem Sociedade enquanto lutávamos para fazer incursões significativas na vida da universidade e do campus. Os resultados representam uma melhoria significativa em relação ao ano passado, o que demonstra como uma planificação antecipada é necessária para se recolher grandes recompensas.

Também conseguimos vender 62 libras de literatura, incluindo cinco jornais Socialist Appeal e quatro cópias de “Clássicos do Marxismo”. De forma encorajadora, muitos alunos expressaram interesse em começar um grupo de leitura abordando os quatro textos incluídos no volume.

Definitivamente, ficamos animados com o que deve ser um ano proativo e importante para a Sociedade Marxista de KCL. O êxito deste ano da feira dos calouros nos deu o ímpeto que necessitávamos para construir nossa sociedade a sério. Algo que todos nós, aqui de KCL Marxistas, esperamos.

Newcastle

No transcurso de dois dias, com a ajuda de membros da Sociedade Marxista de Newcastle e de apoiadores do jornal Socialist Appeal no Nordeste, inscrevemos 82 novos integrantes da Sociedade Marxista e vendemos 14,70 libras em literatura e material Marxista.

No conjunto, a reação que obtivemos das pessoas foi incrivelmente positiva. Os alunos ficaram felizes em ver a presença dos Marxistas e muitos deles tinham decidido nos procurar para discutir conosco e descobrir quem éramos, por terem antes ouvido falar de nossa sociedade. Quando explicamos a importância que damos à teoria e como a vemos como um guia para a ação que pode ser usado para integrar os alunos em um sindicato dos estudantes da NUS, para fazer campanha pelas ideias socialistas revolucionárias e prover solidariedade concreta à luta dos trabalhadores, os alunos começaram a respeitar esta abordagem séria e muitos decidiram se integrar à Federação de Estudantes Marxistas.

Distribuímos 780 panfletos e colocamos cartazes nas universidades de Newcastle e Northumbia que levaram a um exitoso primeiro encontro com cerca de 20 pessoas um dia após o término da feira. A introdução à discussão foi dada por Ben Glinieck de Socialist Appeal e as perguntas e comentários que se seguiram abordaram a Venezuela, o ISIS e o Oriente Médio, e a luta contra o fascismo na Ucrânia.

A reunião foi seguida por uma curta sessão de trabalho durante a qual os camaradas falaram sobre a ação grevista a ser levada pelos trabalhadores em meados de outubro, e sobre os planos para a manifestação do TUC no dia 18. A Sociedade irá se envolver nessas duas ações.

Sheffield Hallam

A feira de calouros de Sheffield Hallam ocorreu em 23 de setembro. Ainda não há uma Sociedade Marxista em Hallam, mas a Federação dos Estudantes Marxistas está buscando começar uma no futuro, então começamos nosso trabalho instalando uma pequena barraca do lado de fora do prédio do Sindicato estudantil para as atividades da feira na terça-feira.

Durante o dia, conseguimos obter que um punhado de alunos se inscrevessem, vendemos duas revistas estudantis Marxistas e uma revista In Defence of Marxism. Obviamente, não foi uma revolução no campus, mas há muitos aspectos positivos recolhidos durante o dia.

Um dos estudantes que se inscreveu ficou muito interessado e expressou interesse em comparecer aos nossos encontros. Outro estudante que está muito interessado nas ideias do Marxismo se deteve em nossa barraca para conversar conosco por um momento e se manteve desde então em contato e mostrou grande interesse em vir as nossas reuniões. Isto significa que temos agora estudantes desejosos de construir uma Sociedade Marxista em Hallam, o que é um significativo ganho para a Federação de Estudantes Marxistas.

Leeds

A Sociedade Marxista de Leeds manteve uma barraca durante os três dias da semana dos calouros, com seis membros da Sociedade Marxista e apoiadores de Socialist Appeal de Leeds ajudando.

A segunda-feira foi o dia mais intenso de inscrição de alunos na Sociedade, apesar de termos sido removidos de nossa posição do lado de fora do sindicato a fim de garantir a “equidade”. A barraca, contudo, também foi um êxito na terça-feira e na quarta-feira. No geral, tivemos pelo menos 100 alunos inscritos na Sociedade, 11 exemplares do jornal Socialist Appeal também foram vendidos junto a três exemplares da revista Estudante Marxista e cinco exemplares do Manifesto Comunista.

Nossa primeira reunião foi um êxito. Adam Booth de Socialist Appeal fez uma excelente introdução sobre “O que é Socialismo?”. Havia 31 alunos presentes, 20 dos quais eram recém-chegados, e a discussão teve um bom equilíbrio entre perguntas e comentários. A discussão continuou mais tarde no pub.

A principal prioridade da Sociedade agora é construir sobre o êxito da semana dos calouros e permanecer em contato com os alunos que possam estar interessados em se envolver mais a fundo – estamos esperando um excelente ano pela frente.

Anglia Ruskin University

No dia da feira dos calouros conseguimos ter uma barraca bem tripulada com cinco membros dos Marxistas de Cambridge ajudando em vários momentos durante o dia.

Chegando às 9;30 horas, meia hora antes de a feira ser aberta, nos instalamos do lado de fora do prédio em que a feira estava sendo realizada. Estávamos em uma posição bastante boa, onde virtualmente todos os alunos passavam ao entrar na feira, e com nossa bandeira “Marxistas de Cambridge” claramente visível.

Felizmente, distribuímos nossos 300 cronogramas de reuniões e inscrevemos em torno de 20 alunos na Sociedade. Muitos desses alunos expressaram interesse entusiástico e outros permaneceram mais tempo para ter uma conversa mais aprofundada conosco. Estamos organizando um grupo de leitura para discutir o Manifesto Comunista com os alunos inscritos.

Sheffield

A feira dos calouros da Universidade de Sheffield foi um evento de um só dia que ocorreu na quinta-feira, 25 de setembro. Tínhamos seis membros da Sociedade Marxista de Sheffield atendendo junto a apoiadores de Socialist Appeal que também nos deram uma ajuda.

Graças à necessidade de se pagar pela filiação da Federação de Estudantes Marxistas, não conseguimos reunir uma maior quantidade de dados de contato, como o fizeram outras Sociedades Marxistas. Mas conseguimos 22 filiados contribuintes para a Federação de Estudantes Marxistas, com mais 27 alunos manifestando seu interesse. Estamos confiantes de que conseguiremos ganhar pelo menos 30 filiados contribuintes quando os que manifestaram interesse assistirem à próxima reunião da Sociedade Marxista. Também vendemos uma revista In Defence of Marxism durante a feira e distribuímos cerca de 450 folhetos anunciando o nosso cronograma de reuniões.

Tivemos uma reunião na noite da feira dos calouros com cerca de 15 pessoas assistindo para ouvir Adam Booth de Socialist Appeal falando sobre “Como será o socialismo?”. Conseguimos levantar 15 libras para os custos de viagem de Adam e todos que foram ao pub pareciam dispostos a se envolver na vida da Sociedade Marxista de Sheffield.

Kent

Na feira dos calouros deste ano, com a ajuda dos Marxistas de Kent e de apoiadores de Socialist Appeal, conseguimos recolher 94 nomes de alunos (e alguns professores) interessados em saber mais sobre a Sociedade Marxista.

Além disso, temos agora quatro membros da Federação de Estudantes Marxistas no campus que pagam três libras de contribuição anual. Tivemos uma breve reunião para apresentar a Federação de Estudantes Marxistas à qual participaram entre 20 e 25 alunos para discutir a fundação de nova Sociedade Marxista em Kent. Provisoriamente, planejamos uma reunião para a quarta-feira ou quinta-feira próxima à noite no campus sobre o tema “O que é o Marxismo?”.

 

Liverpool

Durante os dois dias da feira de calouros, os Marxistas de Liverpool inscreveram cerca de 130 alunos à sociedade e venderam 10 libras em literatura Marxista.

Fizemos uma reunião na noite do primeiro dia da feira em que 12 pessoas estavam presentes. A discussão foi sobre “O que é o Marxismo?” e foi introduzida por Ben Glinieck de Socialist Appeal. O nível da discussão foi bastante alto com genuíno interesse e entusiasmo nas ideias de todos os presentes. Outra reunião está planejada para daqui a duas semanas.

Esta é a primeira vez que a Federação de Estudantes Marxistas esteve presente na Universidade de Liverpool e estamos prevendo ir de vento em popa.

SOAS

No sábado, 27 de setembro, oito membros da Sociedade Marxista e apoiadores londrinos de Socialist Appeal, guarneceram a barraca na feira de calouros de SOAS, no centro de Londres. Nossa barraca teve muito êxito, com aproximadamente 150 alunos se inscrevendo na nossa mala postal durante o transcurso do dia. Isto é significativo dado o tamanho relativamente reduzido da universidade. Notamos um alto nível com respeito a muitos dos estudantes inscritos, com um bom número deles se descrevendo como Marxistas e mostrando grande entusiasmo em nos conhecer. Além de nossa barraca oficial, tínhamos uma segunda do lado de fora da entrada.

Durante o dia, vendemos três exemplares dos quatro Marxistas clássicos e muitos mais manifestaram interesse em se juntar em um grupo de leitura. Vendemos 12 exemplares do jornal Socialist Appeal, um exemplar do livro “O que é o Marxismo?” e quatro revistas dos Estudantes Marxistas.

Somos muito positivos sobre as perspectivas do período à frente e estamos certos de que a Sociedade em SOAS terá o melhor ano de todos.

Universidade de East Anglia (Norwich)

A Sociedade Marxista da Universidade de East Anglia está sendo restabelecida este ano e o trabalho começou com uma barraca instalada na feira dos calouros. Dois dos nossos estiveram presentes na feira e, apesar de algumas dificuldades iniciais, o dia foi muito produtivo. Conseguimos distribuir cerca de 150 folhetos e cerca de 30 endereços de e-mail foram coletados de pessoas interessadas em comparecer as nossas reuniões.

A primeira reunião foi realizada uma semana mais tarde e foi introduzida por Ben Glinieck de Socialist Appeal sobre o tópico “O que é o Marxismo?”. Oito pessoas participaram da reunião, que foi excelente, como também houve um grande entusiasmo entre alguns dos participantes em iniciar um grupo de leitura, e para ajudar na divulgação da próxima reunião.

Southampton

Este ano foi pleno de grandes expectativas para os Marxistas de Soton, uma vez que crescemos consistentemente desde o ano passado e hoje somos uma Sociedade bem conhecida dentro da Universidade de Southampton. Apesar de que a feira dos calouros foi de somente um dia, começamos a anunciar o primeiro evento da Sociedade desde o sábado antes da semana da feira começar, convidando todos a assistir à palestra introduzida por Fred Weston da Corrente Marxista Internacional sobre “O que é o Socialismo? O que é o Marxismo?”.

Além disso, estamos determinados a ter uma presença no campus durante toda a semana e não somente no dia da feira. Então, no domingo fomos à universidade com uma barraca armada e com uma grande variedade de literatura Marxista. Logo nos pediram que nos mudássemos porque não tínhamos reservado o espaço que estávamos ocupando no terreno da universidade. Mas face à adversidade descobrimos que na verdade é possível reservar um espaço dentro ou fora do sindicato dos estudantes onde estabelecer uma barraca e anunciar a Sociedade, da forma que gostamos. Imediatamente reservamos um espaço para toda a semana, e por isso fomos capazes de estar lá todos os dias por pelo menos três horas no campus com a barraca. Isto foi útil em termos de organizar a distribuição de panfletos e cartazes, a impressão de material em solidariedade à campanha de resistência antifascista na Ucrânia que estamos começando neste período, a impressão de material para a manifestação da TUC de 18 de outubro em Londres, o envio de e-mails etc.

A própria feira foi realmente boa. Estávamos colocados fora da principal área, mas o lado positivo foi que tínhamos mais espaço do que as outras Sociedades. O espaço sendo menos concorrido nos dava mais visibilidade. Tivemos um bom número de inscrições – 158 no total – mas o mais importante foi o significativo número de pessoas que se aproximaram de nós declarando com real entusiasmo que estavam nos buscando. Inclusive, tivemos um dos alunos que veio para inscrever um amigo que não pôde vir à feira pessoalmente.

Nessa noite tivemos a primeira reunião com 35 alunos participando. Reservamos uma sala maior do que a que usávamos durante o semestre e nossas expectativas foram plenamente satisfeitas com a sala quase cheia. A discussão foi muito animada, com muitas contribuições vindas da assistência. A reunião no pub mais tarde também foi muito concorrida.

Na quinta-feira, tivemos a barraca na quadra principal da universidade e panfletamos convidando para o filme que tínhamos planejado exibir para a noite. O filme teve uma assistência de cerca de 15 pessoas, a maioria das quais eram pessoas com as quais já tínhamos nos reunido na noite anterior. O filme que foi exibido era “The Spirit of ‘45”, de Ken Loach. De fato, o filme durou até às 8;30 horas e a discussão continuou até depois das 10 horas da noite, com muitos bons comentários de todos.

Em geral, foi tudo muito bem organizado e o nível de comprometimento dos membros da Sociedade para continuar construindo neste ano demonstra como podem ser poderosas e motivadoras as ideias do Marxismo!

London School of Economics (LSE)

As quinta e sexta-feira marcaram a primeira intervenção oficial da Federação de Estudantes Marxistas na feira da LSE, que foi um retumbante êxito. Tínhamos duas barracas (uma dentro e outra fora) onde se inscreveram mais de 150 alunos durante os dois dias.

Conseguimos inscrever mais do dobro dos liberais Democratas (que tinham uma barraca nas proximidades), apesar deles representarem as ideias dominantes da sociedade burguesa, distribuírem pilhas de material inútil e serem visitados até mesmo por seu candidato a prefeito de Londres!

Convidamos os alunos a um pub próximo na sexta-feira, onde tivemos uma boa discussão sobre táticas de ativismo estudantil, sobre os acontecimentos atuais e teoria em geral. Estamos encarando um grande período pela frente.

Chester

Sem uma Sociedade Marxista oficial em Chester é difícil para a Federação de Estudantes Marxistas fazer sentir sua presença no campus. No entanto, estivemos presentes na feira de calouros da universidade onde, embora sem possibilidades de montar uma barraca dentro da feira, tivemos a possibilidade de encontrar estudantes entusiasmados fora do prédio que estavam interessados em se inscrever na Sociedade. Com cerca de 30 alunos se inscrevendo há claramente espaço para o crescimento da Federação em Chester.

Goldsmiths

Pela primeira vez este ano a Federação de Estudantes Marxistas esteve presente na feira de calouros em Goldsmiths onde inscrevemos mais de 30 alunos à Sociedade – um bom número dado o pequeno tamanho da universidade. Durante o transcurso da feira até recebemos ofertas de ajuda na barraca por parte de alunos ansiosos por construir de imediato a Sociedade.

Nosso primeiro grupo de leitura atraiu um punhado de pessoas que pareciam todos interessados em aprender mais sobre as ideias do Marxismo. Esperamos que isto seja o início de um desenvolvimento exitosos da Federação em Goldsmiths.

Leicester

Depois de termos distribuídos panfletos nos campi tanto na universidade de Leicester quanto de De Montfort, nossa primeira reunião foi assistida por cerca de 12 pessoas, incluindo estudantes de ambos os campi. Ben Glinieck de Socialist Appeal introduziu a discussão sobre “O que é o Marxismo” que levou a uma interessante reunião que se referiu a questões da atualidade em nível mundial, assim como ao núcleo da teoria Marxista

Esperamos ser capazes de estabelecer Sociedades Marxistas oficiais tanto nas universidades de Leicester quanto de De Montfort neste ano. Compareçam!

UCL

A feira de calouros da UCL ocorreu em 27 e 28 de setembro. Um dia antes da feira, na sexta-feira, instalamos uma barraca durante aproximadamente uma hora no campus e panfletamos nas salas dos estudantes. Montamos duas barracas de cada lado do lado de fora dos portões principais, e tínhamos uma barraca dentro da feira, mas devido ao grande número de Sociedades ativas na UCL nosso espaço era limitado. Além destas, uma terceira barraca foi montada próximo à estação de Euston devido à longa fila do lado de fora. Durante todo o evento tivemos 323 inscrições de pessoas em nossa mala postal, 113 das quais se inscreveram para o WSA (Aliança dos Trabalhadores e Estudantes – uma iniciativa que lançamos através da Sociedade Marxista para identificar àqueles que estão desejosos de ser ativos no campus e oferecer o campus aos trabalhadores como uma demonstração de solidariedade). No dia 27, tivemos nossa primeira reunião sobre “O que é o Capitalismo? O que é o Socialismo?” com a introdução sendo feita por Fred Weston da Corrente Marxista Internacional. 40 pessoas assistiram, o que foi muito bom, e nos juntamos no pub com várias pessoas mais tarde.

Bristol

A feira de calouros da Universidade de Bristol ocorreu na sexta-feira 26 de setembro, e foi este o primeiro ano em que ali esteve presente uma Sociedade Marxista oficial. No geral, o êxito foi enorme, com grande interesse e entusiasmo que culminaram com aproximadamente 250 inscrições.

Começamos o dia montando a barraca em nossa posição próxima à Sociedade Conservadora e à Sociedade Internacional dos Bancos e das Finanças, contudo quaisquer preocupações que pudéssemos ter sobre esta concorrência logo foram esquecidas depois da resposta esmagadoramente positiva que obtivemos. Muitos alunos primeiranistas se inscreveram, no entanto também ficamos felizes de ver a abundância de estudantes de segundo e terceiro anos se juntando igualmente, mostrando o profundo interesse de toda a universidade.

Nossa primeira reunião foi na quinta-feira, dois de outubro, e também foi nossa maior reunião com 65 comparecimentos e sala cheia. Adam Booth de Socialist Appeal introduziu o tema e foi um encontro excelente. Mesmo que este tenha sido somente nosso primeiro ano oficial, tivemos a maior assistência de qualquer sociedade política em Bristol, e estamos confiantes de que podemos construir sobre esta base.

Durham

Durante um período de cinco horas e meia inscrevemos 125 alunos à nova Sociedade Marxista de Durham.

Nossa primeira reunião foi atendida por 30 pessoas e só tinha lugares vazios para ficar de pé. Ben Glinieck de Socialist Appeal fez a introdução à discussão e várias pessoas estiveram juntas conosco para continuar a discussão no pub mais tarde.

Cambridge

A feira das Sociedades em Cambridge ocorreu em 7 e 8 de outubro. Obtivemos um grande êxito, conseguindo mais de 200 inscrições à nossa mala postal e distribuindo em torno de 800 panfletos.

Nosso posto foi muito bem atendido, com sete membros por perto durante a maior parte da terça-feira e pelo menos quatro membros (normalmente cinco, com as pessoas se substituindo) durante toda a quarta-feira.

No geral, um bom número de alunos manifestou interesse entusiástico com nossos eventos, e antecipamos uma boa participação a nossa primeira Discussão de Grupo Marxista na terça-feira. Também conseguimos nos encontrar com membros de outras sociedades interessados em se juntar aos eventos, incluindo a Sociedade Europeia, que tem intenção de acolher debates sobre temas que afetam a União Europeia, e as Sociedades Africana e Caribenha, que manifestaram interesse em participar de nossa palestra sobre Marxismo e Luta dos Negros mais tarde neste período.

Oxford

Durante três dias a Sociedade Marxista de Oxford distribuiu 800 panfletos e inscreveu em torno de 120 pessoas à Sociedade, todos muito entusiasmados com as perspectivas de se envolverem numa Sociedade Marxista.

Assim como o grande interesse dos estudantes, alguns trabalhadores nas feiras dos calouros manifestaram interesse na Sociedade, e também recebemos uma boa acolhida de membros do público geral. Grande potencial para a construção da Federação de Estudantes Marxistas aqui em Oxford!

Deixe seu comentário

Leia também...

Por que a juventude precisa defender a revolução venezuelana?

Há um grande esforço da mídia em distorcer os acontecimentos na Venezuela, que é um …