Início / Artigos / Outras Análises | Ver Mais / Educação / Estudantes insatisfeitos: a culpa é do sistema

Estudantes insatisfeitos: a culpa é do sistema

Debate sobre a pesquisa divulgada em que só 1 em 10 alunos está satisfeito, enquanto a miaoria pede tecnologia nas aulas.

O jornal “Folha de São Paulo” divulgou uma matéria com o título “Só 1 em 10 alunos está satisfeito, e maioria pede tecnologia nas aulas”. Em uma avaliação de 0 a 5, 69% dos jovens aponta a escola com notas abaixo de 3. E a maioria dos insatisfeitos são de escolas públicas.

Na pesquisa sobre a escola dos sonhos, nota-se que 51% querem tecnologia dentro das escolas. Vivemos em tempos em que a tecnologia está muito desenvolvida. A escola não acompanha isto. O método de ensino continua o mesmo que de anos atrás, o professor escreve no quadro e os estudantes copiam. Não há nada de moderno. Claro que os jovens vão achar isso ruim.

A juventude fora da escola vive a tecnologia. Mesmo tendo condições econômicas ruins, conseguem ter acesso a algum tipo. É um absurdo que os estudantes não tenham acesso a isso dentro das salas de aula.

A pesquisa basicamente mostra o que qualquer estudante ou professor já sabe. Mas não é só isso, a estrutura das escolas não atrai os estudantes. Não há esporte, música, teatro, bibliotecas e tantas outras atividades necessárias para atrair os jovens. O ensino fundamental é um desastre e os alunos já chegam com problemas de aprendizado no ensino médio, sem encontrar cenário melhor.

Por quais motivos o ensino público continua tão atrasado? Essa deveria ser a pergunta. E não é muito difícil de responder.

 Basta lembrar os cortes que a educação sofreu nos últimos anos. Além disso, há a Lei da Mordaça que busca calar o professor, o estudante e impedir que a ciência seja ensinada na sala de aula.

A contrarreforma do ensino médio proposta pelo governo Temer auxilia na destruição completa da educação pública universal. Colocando a iniciativa privada na escola, acabando com o concurso público para professores, além de uma série de outras medidas criminosas.

A escola que precisamos é a que nos ensina os conhecimentos acumulados pela humanidade, que cria seres humanos instruídos em todos os domínios. Mas vivemos sob o capitalismo, um sistema podre e que se decompõe em sua crise mais aguda. Para conquistarmos a educação pública, gratuita e para todos, que não sirva ao interesse da burguesia, precisamos lutar por uma sociedade socialista.

Deixe seu comentário

Leia também...

Sobre a origem e significado do Contrato de Impacto Social (CIS) e porquê a classe trabalhadora deve combatê-lo

Desde o fim de novembro, o governo Alckmin e o Secretário da Educação Nalini deram …