Início / Luta de Classes / Escola de Santos (SP) nega matrícula de estudantes que participaram de ocupação!

Escola de Santos (SP) nega matrícula de estudantes que participaram de ocupação!

A Escola Estadual Azevedo Júnior, em Santos, que foi ocupada durante o fim do ano de 2015 está negando a matrícula de ao menos dois estudantes que estiveram na linha de frente do movimento de ocupação.

Campanha de apoio urgente!

Escola Azevedo Júnior, em Santos-SP, nega matrícula de estudantes que participaram de ocupação!

A Escola Estadual Azevedo Júnior, em Santos, que foi ocupada durante o fim do ano de 2015 está negando a matrícula de ao menos dois estudantes que estiveram na linha de frente do movimento de ocupação. Até o momento, fomos informados que os companheiros Patrycia Ferreira Alves e Pablo Bailoni estão excluídos da lista de matriculados no ano letivo de 2016.

Patrycia estuda na mesma escola há 6 anos e, após encerrado o movimento, procurou a escola no dia 29 de janeiro para verificar – já desconfiada – se estava tudo certo com sua matrícula, quando ouviu da secretária que sua responsável não tinha assinado a rematrícula no dia correto e que já não havia vaga para ela. Porém, não houve qualquer divulgação de data para tal assinatura, bem como não houve divulgação de abertura de vagas na escola para 2016. Solicitaram que voltasse no dia 1º de fevereiro, quando pediram para voltar no dia 2, quando então pediram para que voltasse após o dia 15 para “ver se sobraram vagas”, ou seja, está supostamente na lista de espera da própria escola em que estudou por 6 anos!

O estudante Pablo Bailoni, também do Azevedo, encontra-se em igual situação. Estudando há dois anos na mesma escola, para impedi-lo de continuar os estudos estão lhe negando informação sobre vagas no segundo ano e alegam que precisam da presença de seus pais ou que sua irmã – maior de idade e com quem Pablo vive – regularize sua situação no conselho tutelar para poder representá-lo, algo que nunca solicitaram antes! Enquanto isso, se recusam a dizer se há ou não vaga para ele e mantêm a ameaça de deixá-lo sem estudar.

Não temos motivos para duvidar de que o mesmo possa ocorrer com outros diversos estudantes que estiveram nesta luta! No dia 29\12\15, durante reunião de negociação com João Bosco, dirigente de ensino de Santos, o próprio dirigente afirmava que “não temos alunos suficientes para preencher as vagas”. Agora, os mesmos que argumentavam falta de estudantes alegam falta de vagas e querem deixar alguns fora da escola!

Não temos dúvida de que se trata de perseguição política contra nossos jovens lutadores do povo. Querem retirá-los da escola para tentar frear a luta! Fazemos um chamado urgente a todos os militantes, ativistas, a todas as organizações de jovens, organizações políticas, entidades estudantis, sindicatos a unirem-se numa campanha de denúncia para que seja garantida imediatamente a matrícula destes estudantes no próprio Azevedo Junior.

NENHUM ESTUDANTE FORA DA ESCOLA!
NENHUMA TRASFERÊNCIA FORÇADA!
TODO APOIO AOS LUTADORES DO NOSSO POVO!
POR UMA EDUCAÇÃO PÚBLICA, GRATUITA E PARA TODOS!

Núcleo da Baixada Santista da Liberdade e Luta

Pedimos o envio de moções de repúdio para:
desan@educacao.sp.gov.br – Telefone: (13) 3202-2400 – aos cuidados do Sr. João Bosco,
com cópia para:
publicogratuitoparatodos@gmail.com contato@liberdadeeluta.org
paty_cl2@hotmail.com

https://www.facebook.com/eeazevedojunior/ – mensagens inbox no perfil da escola no facebook também podem ser úteis.

Deixe seu comentário

Leia também...

Escola Mundial da CMI: Celebrando o legado de 1917

Mais de 300 revolucionários de 20 diferentes países reuniram-se na Itália na última semana de …