Início / Artigos / Internacional / Eleições no Paraguai

Eleições no Paraguai

Militantes da Esquerda Marxista participam de ato em São Paulo em solidariedade à candidatura de Fernando Lugo à presidência no Paraguai


Após 60 anos no poder, o partido Colorado, que leva no Paraguai uma política de submissão ao imperialismo norte-americano e de ataques à classe trabalhadora, pode sofrer uma histórica derrota.
O ex-bispo Fernando Lugo, candidato à presidente pela Aliança Patriótica pela Mudança, aparece em primeiro lugar nas pesquisas. Lugo fala em seus discursos de Reforma Agrária, combate à corrupção, às máfias do poder e da necessidade de recuperar a soberania energética do país, propondo a renegociação do injusto tratado energético de Itaipu com o Brasil.
As eleições ocorrem no dia 20 de abril e o partido colorado incita um clima de violência no país, inclusive com atentados, como o que ocorreu contra Alfredo Avalos, dirigente do movimento de esquerda Tekojoja, que foi gravemente ferido ao receber tiros na noite de terça-feira (8) em frente à sua casa. Sua esposa, a brasileira Silvana Rodrigues de Avalos, levou três tiros – um na cabeça, um no tórax e em um no braço – e morreu na hora. Não são poucas também as tentativas de fraude eleitoral que são descobertas diariamente.
O PT chamou um ato em SP no último domingo (13/04) com a presença de Raul Monte, que participa da campanha eleitoral de Lugo. O ato foi pequeno, cerca de 35 pessoas. Os militantes da Esquerda Marxista estavam presentes e enfatizaram a importância dessa eleição dentro do conjunto revolucionário que varre a América Latina e da necessária perspectiva socialista para esse processo.
Se Lugo perder as eleições, ficará evidente a fraude eleitoral, e uma crise de poder, como a que ocorreu nas últimas eleições no México, estará aberta; se Lugo vencer, não serão poucas as tentativas da burguesia em formar um governo de coalizão entre trabalhadores e patrões. Sinais disso já estão na composição da Aliança, com partidos burgueses como o Partido Liberal Radical Autêntico, ao qual pertence o candidato a vice-presidente.
Por tudo isso, a atual eleição no Paraguai merece muita atenção dos revolucionários de todo o mundo. A grande mídia não noticia esse profundo processo de transformação. Nós, da Esquerda Marxista, estaremos atentos, inclusive com militantes acompanhando no Paraguai. Em breve novas notícias.

Deixe seu comentário

Leia também...

Seminário sobre Liberdade e Independência Sindical

Joinville-SC, de 24 a 26 de novembro de 2017 Inscrições até 10/11/2017 A Esquerda Marxista …