Início / Artigos / Desemprego juvenil no Canadá: “O último contratado é o primeiro a ser despedido”.

Desemprego juvenil no Canadá: “O último contratado é o primeiro a ser despedido”.

A luta da juventude estudantil e trabalhadora contra o desemprego e contra a precarização dos direitos é a mesma luta de todos os trabalhadores que por meio de suas organizações enfrentam-se ao capital, por suas reivindicações.

No Canadá e no mundo todo, a juventude está sendo insidiosamente forçada a tolerar a sobrecarga da crise capitalista. Enquanto as corporações empresariais de todo o mundo continuam a maximizar seus lucros, os jovens estão sofrendo taxas recordes de desemprego que os empurram à pobreza, à carência de moradias e de educação e a crescentes riscos de violência e conflitos com a lei.

A taxa de desemprego para a juventude entre 15 e 34 anos de idade, no Canadá, alcançou 14,1% em julho de 2011, uma taxa duas vezes mais elevada que a taxa de desemprego global de todos os canadenses. Os jovens também são mais sujeitos do que o restante da população a formas precárias e inseguras de trabalho, temporário ou por tempo parcial, com poucos ou nenhuns benefícios trabalhistas. Além disso, os que estudam têm o desafio de enfrentar os crescentes custos de vida e as absurdas mensalidades escolares, que estão mais de 300% mais elevadas do que há dez anos, criando desafios para nossa jovem geração de trabalhadores.

A posição do governo e dos empregadores indica objetivamente que, para eles, os jovens não merecem ter acesso à educação e a um bom trabalho.

Esta posição se tornou cristalinamente clara quando o governo Conservador eliminou o Programa de Colocação de Verão, em 2006. Este programa era uma parceria entre o governo federal e os patrões, em que o governo proporcionava subsídios aos empregadores para contratar os serviços dos estudantes durante o verão. Deve-se registrar que este programa proporcionava emprego a mais de 50 mil estudantes. Subsequentemente, o programa foi reestruturado como Programa de Empregos de Verão do Canadá e sofreu significativos cortes de fundos ao lado de critérios mais restritivos para a concessão do benefício. O resultado foi 25 mil empregos a menos. Claramente, o governo Conservador está se lixando para com o bem-estar de nossa juventude e para com seu acesso a empregos decentes.

Os patrões demonstraram igual indiferença quando se esforçam por explorar os jovens trabalhadores com baixos salários, com menos empregos fixos, com menos ou nenhum benefício trabalhista em relação ao que era antes. Exemplo significativo disto é o sistema de duas camadas que o Canada Post [Empresa de Correios do Canadá] impôs aos seus trabalhadores, e que foi entusiasticamente apoiado pelo governo federal Conservador. Em suma, todos os novos empregados começarão com a taxa mais baixa de salário e com pequenos incrementos de salário, menos e muito pouco adequados benefícios, bem como menos estabilidade. Com a introdução do sistema de duas camadas, todos os atuais empregados temporários viram seus salários reduzidos também. Este é um ataque aos jovens trabalhadores, que são mais propriamente trabalhadores temporários ou que ingressaram recentemente no mercado de trabalho.

Canada Post alega que as reduções são necessárias devido ao declínio do volume das correspondências e à diminuição das receitas; contudo, somente há um ano, eles anunciaram um lucro recorde de 281 milhões de dólares canadenses.

Por que os jovens trabalhadores são fritados e privados de salários dignos e bons empregos? Um dos fatores que contribui para isso, em um competitivo e crescentemente especializado mercado de trabalho, os trabalhadores mais velhos são forçados a aceitar empregos com salários mais baixos do que poderiam obter com sua alta qualificação, empregos estes que seriam mais adequados aos trabalhadores mais jovens e aos estudantes. Outro fator nesse sentido é que os trabalhadores mais velhos, ao verem suas aposentadorias e pacotes de benefícios trabalhistas ameaçados, hesitam em se retirar do mercado de trabalho. Ambos os fatores dificultam o acesso dos jovens trabalhadores ao mercado de trabalho. Os trabalhadores que dedicaram a maior parte de suas vidas ao trabalho merecem aposentadorias dignas e os benefícios quando aposentam; assim, não necessitariam trabalhar por mais dez ou vinte anos além da idade aceitável de aposentadoria. Uma boa legislação e uma boa política trabalhista dariam espaço às novas camadas de jovens trabalhadores, de forma a ajudar a aliviar o desemprego juvenil. A luta pelos direitos dos trabalhadores jovens é também a luta pelos direitos dos trabalhadores mais velhos!

No final das contas, tudo o que está acontecendo contribui para aumentar o lucro dos patrões. É benéfico e lucrativo para os patrões mergulhar toda uma geração no desemprego e na pobreza porque isto fará com que esta mesma geração esteja mais disposta (devido à necessidade) a trabalhar em empregos menos seguros e com salários mais baixos. É mais rentável para o governo e para as instituições financeiras mergulhar a nova geração em dívidas para, assim, colher os juros. O desemprego juvenil interessa ao capitalismo – então, devemos nos unir à luta pelo socialismo a fim de lutarmos por melhores empregos e por uma vida melhor!

Fonte: Fightback (Canada)
Tradução: Fabiano Adalberto

Deixe seu comentário

Leia também...

O início de uma semana crucial na Venezuela

A oposição venezuelana, apoiada por Washington e Madri, lançou uma ofensiva para impedir que as …

Deixe uma resposta