Início / Documentos / Editoriais / Derrotar a reforma da Previdência e a Trabalhista! Abaixo a Terceirização!

Derrotar a reforma da Previdência e a Trabalhista! Abaixo a Terceirização!

Este texto será distribuído como panfleto nas mobilizações deste 31 de Março em todo o Brasil pelos militantes da Esquerda Marxista.

Temer tenta se equilibrar no cargo enquanto distribui golpes e mais golpes em cima dos trabalhadores. Tal qual um chacal ferido de morte, ele morde e arranha tentando sobreviver.

No Tribunal Superior Eleitoral, ele manobra para evitar a votação já da cassação da chapa Dilma-Temer, esperando que os dois novos ministros nomeados por ele o livrem da cassação. No Congresso, ele ameaça em um dia sancionar o projeto de liberação geral da terceirização e em outro dia tenta outras manobras. Legalmente falando, tal lei não poderia ter ido à votação (foi retirado pela Presidência da República, no primeiro mandato de Lula), mas está votado e na mesa de Temer.

Enquanto espera que o STF defina algo, Temer reclama que trabalha demais, ligando e almoçando com parlamentares e empresários. Negocia com a já cooptada Força Sindical a Reforma da Previdência e a terceirização em troca de manter o imposto sindical ou substituí-lo por uma “contribuição confederativa obrigatória”, ou seja, muda o nome e mantém tudo igual.

Na Reforma da Previdência, cada dia o presidente de plantão dá uma orientação diferente – retira os servidores estaduais da reforma, inclui os servidores estaduais mas retira policiais e professores, esqueçam tudo isso e volte ao projeto original, etc. Maia, que fez votar a terceirização irrestrita, garante que aprova a reforma na Câmara ainda em maio. E tudo isso acontece depois que a manifestação da direita em apoio à Lava-Jato foi um grande fracasso e o 15 de março assombra a burguesia. Afinal, não é à toa que o senador Renan Calheiros consegue a assinatura de oito senadores do PMDB pedindo que o projeto da terceirização não seja votado.

As centrais sindicais se reuniram e decidiram chamar uma greve geral em 28 de abril. A Corrente Sindical Esquerda Marxista se junta a este chamado e precisa: as assembleias sindicais necessitam aprovar a greve e um apelo para que a CUT e demais centrais convoquem um Encontro Nacional da Classe Trabalhadora para decidir a continuidade da luta. Parar dia 28 vai abalar Temer e o Congresso, mas é preciso derrubar todos eles. “Se empurrar, o Temer cai”, gritam os manifestantes nas ruas.

É preciso dizer claramente o que queremos, e as centrais não dizem – queremos o fim de toda terceirização, queremos a rejeição de todo projeto da reforma da previdência, queremos a rejeição completa da reforma trabalhista, queremos derrubar Temer e o Congresso. É preciso dar voz e voto a esta base para que ela possa decidir como lutar contra Temer e o Congresso, como impedir a retirada de direitos. A base mostrou que está disposta a lutar no 15 de março. E vai mostrar mais força no 28 de abril.  Vamos juntos gritar:

Fora Temer e o Congresso Nacional!

Todos juntos na greve do dia 28 de abril!

Por um Encontro Nacional da Classe Trabalhadora!

2017.03.31 panfleto 31M

Deixe seu comentário

Leia também...

Unidade para derrotar as reformas da previdência e trabalhista

Em 15 de Março centenas de milhares de trabalhadores e jovens se manifestaram no país …