Início / Artigos / Declaração do Movimento Negro Socialista. 20 de Novembro, dia de luta pela igualdade

Declaração do Movimento Negro Socialista. 20 de Novembro, dia de luta pela igualdade

Há 318 anos era assassinado Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo dos Palmares, o maior da história brasileira, localizado na Serra da Barriga, no atual estado de Alagoas.A resistência do Quilombo de Palmares foi um marco na história do povo oprimido e explorado do Brasil na luta contra a opressão. Os Quilombos eram povoados constituídos por escravos que se refugiavam nas matas, índios e brancos pobres. O de Palmares foi o maior que se tem notícia, chegando a reunir dezenas de milhares de habitantes.

Há 318 anos era assassinado Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo dos Palmares, o maior da história brasileira, localizado na Serra da Barriga, no atual estado de Alagoas.A resistência do Quilombo de Palmares foi um marco na história do povo oprimido e explorado do Brasil na luta contra a opressão. Os Quilombos eram povoados constituídos por escravos que se refugiavam nas matas, índios e brancos pobres. O de Palmares foi o maior que se tem notícia, chegando a reunir dezenas de milhares de habitantes.

Zumbi dos Palmares, assassinado em 20 de novembro de 1695, é um herói de todo povo brasileiro e este dia deve ser comemorado e relembrado por nos mostrar como as coisas são resolvidas na luta de classes.

As jornadas de junho abriram uma nova situação, milhões de brasileiros foram às ruas, em especial a juventude. Podemos sintetizar as reivindicações levantadas numa frase: Público, Gratuito, de Qualidade e Para Todos! Saúde, Educação Transporte.

Nesta nova e favorável situação para a luta dos oprimidos e explorados, qual a resposta dos governos, dos chamados movimentos negros e de muitas lideranças da chamada esquerda? Aprofundar a aplicação da política de colaboração de classes, multiplicando as propostas de cotas raciais; construção de ONG’s em acordos com o aparato do estado nas esferas municipais, estaduais e federal. Numa verdadeira cruzada unem-se a figurões políticos e partidos dos mais reacionários da sociedade. Da maioria do PT, de metade do DEM e do PSDB, passando pelo PMDB e praticamente todos os partidos políticos, até chegar nas organizações da ultra esquerda, todos defendem as chamadas cotas raciais.

Note-se que essas políticas, que são aplicadas desde 2003 não diminuíram as desigualdades sociais e nem o racismo. Na verdade são políticas de colaboração de classes e substancialmente não modificam a vida do povo trabalhador.

Se por um lado o racismo nascido nos tortuosos caminhos do sistema capitalista para tentar justificar uma opressão e exploração em busca do lucro, por outro o racialismo com um discurso organizado pela Fundação Ford e empalmado pelo estado de “reparação” avança no sentido da divisão da nação brasileira em “cidadãos” com direitos diferenciados mesmo que tenham a mesma origem social e renda.

Com previmos antes, as cotas raciais nas universidades públicas eram somente a “ponta do iceberg”. A prova são as últimas novidades, a saber: cotas raciais para parlamentares aprovadas na CCJ que cria duas listas de votação, de negros e brancos (sic) e as cotas raciais aprovadas para os concursos públicos definidas por lei sancionada pela presidente Dilma.

Racismo e racialismo são frutos da mesma ideologia reacionária baseada na mentira da existência de “raças humanas”.  Ambas estão a serviço do capital para dividir os trabalhadores.

O MNS apoia a luta dos trabalhadores e da juventude pelas suas reivindicações e convida-os para lutar cotidianamente, com toda energia contra o racismo e o racialismo. Convocamos todos a combater, com especial vigor, contra a aprovação da maioridade penal, projeto reacionário apresentado pelo PSDB de São Paulo.

Convocamos todos para juntos lutarmos contra a repressão desencadeada principalmente nas periferias, contra a juventude trabalhadora e os movimentos sociais. Não podemos tolerar a matança generalizada, como vimos acontecer nos casos dos jovens Douglas e Amarildo, matança esta realizada pelos governos e por seu aparato de repressão, em geral pelas PMs.

Neste 20 de novembro, saudamos a entrada em cena de milhões de jovens e trabalhadores nas ruas, em luta. Saudamos e comemoramos a luta de Zumbi. A luta contra o racismo é a luta pela igualdade.

Estamos juntos na luta por Público, Gratuito, de Qualidade e para todos! Saúde, Transporte e Educação.

Viva a luta de Zumbi dos Palmares! Abaixo o Racismo!

Viva a unidade dos trabalhadores! Abaixo a repressão!

Viva a luta pelo Socialismo!

Deixe seu comentário

Leia também...

24/5: Brasília tomada pelas massas

Na quarta-feira (24/5), o eixo monumental de Brasília foi tomado por mais de 100 mil …