Início / Artigos / De que PT é o ministro José Eduardo Cardozo que apoia a repressão de Alckmin?

De que PT é o ministro José Eduardo Cardozo que apoia a repressão de Alckmin?

A imprensa reproduziu amplamente as declarações do ministro José Eduardo Cardozo alinhando-se com o governador do PSDB e com a repressão desencadeada contra manifestantes pela polícia em SP. As declarações do ministro são uma vergonha para o governo e para o PT.

Ele não só age como um brucutu da ditadura como ajuda a divulgar mentiras.

Na sexta-feira, 07/06, os militantes da Esquerda Marxista (que nunca concordaram com depredações e insultos ou violência gratuita organizada por uma minoria em todas as manifestações – veja artigo http://www.marxismo.org.br/?q=content/e-preciso-organizar-o-movimento-contra-o-aumento-das-tarifas-para-chegar-vitoria) foram atacados pelas costas pela polícia com bombas, cassetetes e balas de borracha.

Desde o início a ação provocadora da polícia se junta com a de grupos anarquistas e punks para tentar desmoralizar as manifestações. E não bastasse a vergonha de Haddad estar junto desde o início com Alckmin contra o povo, desonrando o mandato que recebeu e o próprio PT, agora temos um ministro que fala como seu antecessor Armando Falcão durante a ditadura.

Todos tem o direito de abandonar seus sonhos e ideais, seus princípios, mas todos tem o direito de lançar isso na cara daqueles que passam para o lado de lá e apoiam a repressão e a provocação policial. Aprendi isso desde os tempos em que eu, assim como José Eduardo, lutávamos nas ruas contra a ditadura e a mesma PM, o mesmo aparato repressivo. Continuo fiel aos nossos ideais de classe, ao socialismo e ao Manifesto e Carta de Princípios do partido que fundamos em 79/80, o PT.

E não creio que deveria haver lugar em nosso partido para quem faz as declarações que reproduzo abaixo. E nem para um prefeito que evacua a prefeitura e o Teatro Municipal antes da manifestação de ontem e enche estas dependências de PMs de Alckmin para fazer uma emboscada contra manifestantes populares.

Como membro do Diretório Nacional do PT estou com a JPT que condena o governo do estado e a prefeitura e declara: Neste sentido, a Juventude do PT vem a público reivindicar a reversão dos aumentos das passagens e manifestar sua solidariedade e apoio aos movimentos que lutam contra esses aumentos. Mais que isso: conclamamos a militância petista a participar ativamente das manifestações e comitês, a começar pelo ato do dia 11 de junho, às 17h, na Praça do Ciclista, Av. Paulista!”. A JPT estava na luta e no ato de 11 de junho a que o ministro se refere como “atos ilícitos”, “atos de vandalismo”, etc.

A Executiva nacional do PT, e seu presidente Rui Falcão, em especial, não pode se calar frente ao que se passa em SP e às acusações de formação de quadrilha lançadas contra os manifestantes. Ninguém pode se calar quando tenta se impor um regime de terror e uma ditadura policial nas ruas. Especialmente se esperam declarações inequívocas de Lula e Dilma condenando a repressão e as provocações policiais.

Abaixo a repressão. Fora Alckmin!

Liberdade para todos os presos políticos!

Punição dos responsáveis!

Revogação do aumento!

Todo apoio às manifestações!

 

Serge Goulart (membro do Diretório Nacional do PT)

sergegoulart.br@gmail.com

Cel: (48) 99003663

 

Trechos das declarações do ministro publicadas pela Globo. E que não se diga que “é coisa da Globo e da Veja”. Eles reproduzem porque desta vez quem desmoraliza o PT é o próprio ministro:

“O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou nesta quinta-feira (13) que o governo federal está à disposição para ajudar o governo de São Paulo nos episódios dos protestos contra o aumento da tarifa do transporte público.

Cardozo afirmou que crimes e “atos ilícitos” são da alçada da polícia estadual, mas afirmou que o governo federal poderá apoiar as autoridades locais caso seja acionado.
“O governo federal está à disposição para aquilo que for necessário, para aquilo que nos for solicitado pelo governo do estado de São Paulo ou por qualquer outro governo que acredite que nós possamos ajudar nessa área”, afirmou o ministro.

Nesta quarta (12), Cardozo disse que pediu à Polícia Federal uma “análise” dos episódios em São Paulo para o caso de se adotar “as medidas que forem necessárias“.

José Eduardo Cardozo voltou a criticar o que chamou de “atos de vandalismo”. A Constituição Federal, afirmou, garante o direito à livre expressão. “Mas imaginar que as pessoas precisam ir para a violência para atingir seus objetivos, isso é inaceitável”, declarou.

“É lamentável que ainda restem pessoas que não consigam perceber que, num estado de direito, é legítima a manifestação, é legítimo que as pessoas expressem sua opinião, mas não é legítimo que pratiquem atos de violência, atos de vandalismo”, disse o ministro.” (http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2013/06/governo-federal-esta-disposicao-para-ajudar-sp-afirma-ministro.html)
 

Deixe seu comentário

Leia também...

França: O regime bonapartista afunda. A revolução ronda a Europa

O resultado das eleições francesas é muito mais do que uma disputa entre direita e …