Início / Luta de Classes / Congresso dos Vidreiros de São Paulo aprova resolução contra PPE

Congresso dos Vidreiros de São Paulo aprova resolução contra PPE

O Sindicato dos Vidreiros de São Paulo realizou nos dias 23, 24 e 25 de outubro seu 8º Congresso e aprovou resolução contra o PPE, o Lay Off e Banco de Horas.

O Sindicato dos Vidreiros de São Paulo realizou nos dias 23, 24 e 25 de outubro seu 8º Congresso na cidade de Praia Grande/SP.

Realizado semanas após o Congresso Nacional da CUT, em uma conjuntura de crise, o Congresso da categoria reuniu 25 convidados e 125 delegados representando cerca de 20 mil trabalhadores da base e 10 mil associados.

A pauta era Conjuntura Internacional e Nacional e Plano de lutas para o próximo período.

A abertura foi realizada na sexta feira, às 19h, quando foi apresentada e aprovada a pauta e o regimento.

No sábado foi composta uma mesa de apresentação e debate das 3 contribuições apresentadas ao Congresso.

A mesa foi coordenada pelo camarada Guido da Esquerda Marxista e teve como debatedores: Miranda, da Esquerda Marxista; Douglas, Presidente da CUT Estadual e Nivaldo, da CTB.

Após a apresentação foi aberta a palavra aos delegados e se seguiram intervenções do plenário, vale ressaltar que vários jovens operários tomaram a palavra.

No período da tarde foi apresentado um plano de lutas pela Comissão Organizadora. Este foi o momento mais quente do debate, pois um setor da Articulação Sindical era a favor do PPE (Programa de Proteção ao Emprego), programa apresentado pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e transformado em Lei pelo Governo Dilma e que propõe reduzir a jornada de trabalho, com redução de salários, por até um ano.

Houve uma pequena confusão que logo foi resolvida pela mesa e a Articulação retirou a proposta a favor do PPE. Colocada em votação foi aprovada por unanimidade a seguinte resolução:

“O 8º Congresso dos Vidreiros reafirma sua posição contra o PPE, Lay off e Banco de horas.

Continuará a lutar incondicionalmente contra todos os dispositivos dos patrões e governos que retirem ou flexibilizem os direitos trabalhistas”.

Verivaldo (Galo), Secretário de Imprensa do Sindicato, avaliou que este “foi um dos melhores Congressos que já realizamos, aqui houve uma discussão política que não aconteceu no último CONCUT ” e emendou: “ Neste mês fizemos 20 assembleias nas principais fábricas da categoria no Vale do Paraíba, Grande São Paulo e Região de Campinas, em todas colocamos em discussão o PPE e foi rejeitado em todas. ”

Foi um excelente Congresso operário, que realizou a discussão das principais preocupações do movimento operário. Com certeza é uma enorme contribuição para o movimento da classe trabalhadora neste período de confusão política causada pela colaboração de classes do PT e os ataques do Governo Dilma aos direitos e conquistas dos trabalhadores.

Deixe seu comentário

Leia também...

Campinas na luta contra o Escola Sem Partido e a Lei da Mordaça!

A Associação dos Professores da Puc-Campinas (Apropucc) emitiu nota esta semana repudiando o projeto de …