Início / Documentos | Ver Mais / Congressos & Conferências / Começa a Escola de Quadros da Esquerda Marxista

Começa a Escola de Quadros da Esquerda Marxista

Com mais de 100 participantes, começa a Escola Nacional de Quadros da Esquerda Marxista, que ocorre entre os dias 17 e 19/04 (precedendo a Conferência Nacional Chico Lessa de 20 e 21/04), na cidade de Praia Grande/SP.

Com mais de 100 participantes, começa a Escola Nacional de Quadros da Esquerda Marxista, que ocorre entre os dias 17 e 19/04 (precedendo a Conferência Nacional Chico Lessa de 20 e 21/04), na cidade de Praia Grande/SP. O secretário geral da Esquerda Marxista, Serge Goulart, abriu o encontro no dia 17, ressaltando a importância da formação para os militantes marxistas e a grande tarefa da organização ao se propor a discutir temas de grande importância para a classe operária e a juventude.

O primeiro informe foi apresentado pelo camarada Ruy Penna, sobre a história do Partido Bolchevique. Ele explicou que, apesar da história dos bolcheviques ser confundida com a história da Revolução Russa, o partido tem um longo caminho até 1917, ano da Revolução de Outubro. Ele Também explicou o combate travado pelos marxistas russos contra as tendências reformistas dentro do movimento operário e a luta pela construção do partido revolucionário. O informe está baseado fundamentalmente no livro do historiador francês e trotskysta, Pierre Broué.

A Camarada Maritania Camargo apresentou o segundo tema da Escola, com um informe sobre Literatura e Revolução. Ela destacou a importância da formação literária dos quadros bolcheviques. Também falou sobre os gostos literários de Marx, Lenin, Trotsky e outros militantes. Marx, por exemplo, adorava Balzac, que considerava um grande escritor.

Abordou também a importância dos militantes se apropriarem do conjunto da cultura produzida pela humanidade no decorrer da história e a importância da luta pelo socialismo para libertar a criatividade humana, que hoje encontra-se contida pelas amarras do capitalismo. O debate contou com diversas intervenções do plenário, que enriqueceram a discussão. Ao final, foi feita uma homenagem ao escritor Eduardo Galeno, que faleceu no último dia 13 de abril, com a leitura de um conto do escritor pela camarada Marilia Carbonari (ver aqui).

Os militantes e convidados saíram bastante animados do primeiro dia de discussão, expressando o desejo de aprofundar o conhecimento dos temas abordados. E aguardando os próximos dois dias que serão dedicados ao estudo da Coluna Prestes, da Ditadura Militar de 64 e do Imperialismo e a Revolução Permanente.

 

Deixe seu comentário

Leia também...

A juventude no lançamento do livro Stalin, de Leon Trotsky

Repercussão do lançamento da edição brasileira em São Paulo No dia 4 de outubro de …