Início / Artigos / Internacional / Cem estudantes marxistas comemoram os 100 anos da Revolução Russa

Cem estudantes marxistas comemoram os 100 anos da Revolução Russa

Saiba como foi a conferência nacional anual da Federação dos Estudantes Marxistas (MSF, em suas siglas em inglês), organizada pela UCLU Marxist Society.

No último sábado, 11 de fevereiro, cerca de 100 estudantes e jovens trabalhadores de pelo menos 20 escolas, faculdades e universidades de todo o país, reuniram-se, em Londres, para a conferência nacional anual da Federação dos Estudantes Marxistas (MSF, em suas siglas em inglês), organizada pela UCLU Marxist Society.

O número de participantes não somente mostrou a crescente força da MSF e a atração das ideias revolucionárias, como também foi um número adequado para celebrar o centésimo aniversário da Revolução Russa. E foi exatamente isto o que a conferência deste ano fez, com a sessão da manhã dedicada a uma discussão intitulada “Em Defesa de Lênin”.

Stephen Agnew da Sociedade Marxista de Sheffield introduziu a discussão, dando uma visão geral da vida e das ideias de Vladimir Lênin, o líder da Revolução Russa e grande teórico Marxista. Stephen não somente explicou o desenvolvimento das ideias políticas de Lênin, como também o seu papel fundamental na construção e educação do Partido Bolchevique – o fator subjetivo vital que levou à primeira e única revolução bem-sucedida da história.

Tanto a palestra de Stephen quanto as numerosas contribuições do plenário ajudaram a responder às mentiras, calúnias e distorções que são lançadas frequentemente contra Lênin e os Bolcheviques para denigrir a Revolução Russa e suas realizações. Além disso, os camaradas presentes abordaram as importantes contribuições teóricas que Lênin fez às ideias Marxistas, incluindo obras como Esquerdismo, Doença Infantil do Comunismo e Materialismo e Empíreo-Criticismo.

Construindo as forças do Marxismo

As duas sessões da tarde focalizaram a questão da colocação de nossas ideias na prática, com discussões sobre como construir as forças do Marxismo tanto na Grã-Bretanha quanto internacionalmente.

Joe Attard, da sociedade Marxista do Kings College de Londres, introduziu a discussão sobre o trabalho e a estratégia da Federação dos Estudantes Marxistas, explicando o contexto político da austeridade do Partido Tory [Partido Conservador] e da radicalização de massa em que os estudantes e a juventude na Grã-Bretanha hoje se encontram. Joe fez uma breve análise das lições aprendidas no período recente e das atividades em que os membros e grupos da MSF estiveram envolvidos durante o ano passado, antes de prosseguir delineando as tarefas dos estudantes Marxistas no período que se avizinha.

As contribuições na discussão aprofundaram a análise de Joe, ao darem exemplos concretos das áreas locais para ilustrar as atividades em que os estudantes Marxistas estiveram envolvidos no campus e fora dele. Nick, da sociedade Marxista de Leeds, falou sobre sua bem-sucedida campanha a partir de um programa socialista para se tornar um dos vários delegados NUS da Universidade de Leeds. Thomas, da sociedade Marxista de Warwick, falou sobre as lições da ocupação na Universidade de Warwick no último trimestre, e Laurie, de Cambridge, ofereceu conselhos úteis sobre como as sociedades podem adaptar seus eventos aos temas atuais que afetam aos estudantes.

Ben Glinieck, organizador nacional da Federação dos Estudantes Marxistas, introduziu a sessão final sobre as atividades dos estudantes Marxistas internacionalmente, proporcionando exemplos inspiradores de campanhas e eventos organizados pelas organizações irmãs da MSF, que foram criadas e promovidas pela Corrente Marxista Internacional por todo o mundo – do Paquistão e da Itália, passando pelo Canadá, EUA e México.

A conferência ficou muito honrada em receber a contribuição de nossos camaradas brasileiros da organização da juventude Marxista Liberdade e Luta, que falaram com entusiasmo sobre o fortalecimento crescente das forças Marxistas no Brasil, inspirando aos Marxistas da Grã-Bretanha.

Socialismo ou barbárie

Fred Weston, editor de www.marxist.com, fechou a conferência explicando o futuro da humanidade: socialismo ou barbárie. Por todos os lados para onde olhemos, vemos o capitalismo em crise, incapaz de proporcionar e manter as reformas conquistadas através da luta pelas gerações anteriores. De fato, como Fred assinalou, nossa geração será a primeira em décadas destinada a um nível de vida inferior aos dos nossos pais.

Somente este fato demonstra o impasse oferecido pelo capitalismo e a necessidade da revolução. E é para isto que a Federação dos Estudantes Marxistas e a Corrente Marxista Internacional estão lutando – a revolução socialista internacional. Junte-se a nós nesta luta!


Artigo publicado originalmente em 13 de fevereiro de 2017, no site Revolution, sob o título ” 100 Marxist students commemorate 100 years since the Russian Revolution”.

Tradução Fabiano Leite.

Deixe seu comentário

Leia também...

Argentina: nossa posição diante das eleições primárias abertas

Atualmente, nós da classe trabalhadora, estudantes e camponeses vivemos uma forte investida da direita em …