Início / Artigos / Carta de uma socialista egípcia: A reação ao discurso de Mubarak

Carta de uma socialista egípcia: A reação ao discurso de Mubarak

Depois de um silêncio muito criticado Mubarak finalmente se pronunciou sobre os protestos que o povo tem feito contra ele. A reação inicial do povo foi de raiva. Recebemos esta carta de uma socialista egípcia escrita logo após o pronunciamento do ditador.

Seu discurso foi bastante previsível, basicamente defendendo os pobres e prometendo reformas. Mesmo com essas flagrantes mentiras, que cheiram a condescendência, suas palavras deram motivos de sobra para incendiar com fúria ainda maior as ruas do Egito.

Mubarak declarou que ele estaria pedindo a renúncia do governo (ou seja, dos ministros). É claro que as ruas do Cairo já haviam exigido a renúncia de Ahmed Nazif (o primeiro-ministro) antes, mas os protestos não se importam com os ministros. As ruas do Egito pedem a renúncia de Mubarak, não apenas de Nazif ou de Habib! Os trabalhadores da indústria siderúrgica e de mineração convocaram uma greve em solidariedade ao povo. O vergonhoso empresário da NDP (que monopoliza a indústria siderúrgica), Ahmed Ezz, tentou fugir do país e foi preso no aeroporto.

Uma ameaça muito séria se seguiu à declaração de Mubarak. A nomeação de Omar Suleiman, para a vice-presidência. No passado, Mubarak se recusou a nomear um vice-presidente, já que desde o estabelecimento de uma república o vice-presidente herdaria a liderança do ex-presidente. Hosni Mubarak, ele próprio, foi o vice-presidente de Anwar El Sadat. A fim de passar o poder a seu filho, Gamal Mubarak, Hosni Mubarak não escolheu vice-presidente. Quem é Omar Suleiman e por que Mubarak o indicou?

Omar Suleiman é um homem politicamente forte e muito ambicioso militarmente. Ocupou cargos importantes no Exército. Durante a era Bush, ele foi cotado como sucessor de Mubarak. Omar Suleiman tem sido o chefe do Serviço de Inteligência Egípcio durante quase 18 anos. Isso significa que ele tem sido uma figura-chave na repressão política desenfreada, na tortura e nos crimes contra a humanidade cometidos pelo regime de Mubarak nos últimos 18 anos. Ele controla a polícia secreta e dirige os presídios políticos e o aparato militar. Não há dúvida sobre o fato de que ele consta na folha de pagamentos da CIA há muito tempo. Além de suas violações dos direitos humanos dentro de casa, Omar Suleiman é também a principal voz de Israel no Oriente Médio. Oficialmente, Omar Suleiman é o mediador do conflito Israel-Palestina, mas é claro que há muito mais do que isso. Na realidade, Omar Suleiman esteve profundamente envolvido, juntamente com o líder da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, em negociações que trouxeram muito sofrimento ao povo da Palestina. Omar Suleiman é sem dúvida uma figura impopular no Egito.

Por que Mubarak nomeou-o como vice-presidente? Mubarak não é um ditador consciente, no sentido de que ele não leva a sério o poder do povo, ao contrário, ele está muito ameaçado pelas condenações de Washington. Mubarak ainda não entendeu. Ele acredita que se ele coloca o homem mais importante da CIA na principal posição, isso se traduz em sucessão, e eles farão mais ações para apoiá-lo. Este é um jogo muito complicado. Os EUA já declarou que “entendeu” o protesto, e por isso seria mais difícil para eles tomar qualquer ação direta. Mubarak não necessita de financiamento ou armas no momento, ele precisa de pessoas que concordem em direcionar essas armas contra o povo. O regime não pode confiar no exército e na polícia. A nomeação de Omar Suleiman é um grito de socorro de Mubarak para a CIA e Israel.

Agora, há uma chance de que se Mubarak for derrubado, Omar Suleiman será o novo presidente (de acordo com a Constituição). Se ele de fato conseguir isso, significará um plano para uma repressão maciça sobre os dissidentes e a população em geral, um regime militar muito mais rigoroso; e isso não repercutirá bem ao povo palestino ou à qualquer pessoa. Se ele falhar, então esta seria uma boa notícia para o povo egípcio, porque a CIA não seria capaz de sustentá-lo nas fases posteriores da revolução democrática.

Sábado, 29 de Janeiro de 2011.

Deixe seu comentário

Leia também...

Depois de Charlottesville: Como a Classe Trabalhadora Pode Derrotar a Direita

A classe trabalhadora organizada conscientemente, na forma de um partido socialista de massas, pode deter …

Deixe uma resposta