Início / Luta de Classes | Ver Mais / Caos no Metrô: O povo não é ovelha não!

Caos no Metrô: O povo não é ovelha não!

Ontem, dia 04 de fevereiro, o Metrô da cidade de São Paulo entrou em colapso. Milhares de usuários, depois de uma estafante jornada de trabalho, ficaram horas esperando que os trens voltassem a funcionar.

Ontem, dia 04 de fevereiro, o Metrô da cidade de São Paulo entrou em colapso. Milhares de usuários, depois de uma estafante jornada de trabalho, ficaram horas esperando que os trens voltassem a funcionar. Milhares de pessoas buscaram ônibus como opção, outras organizavam grupos para “rachar um táxi”, outras caminharam, outras esperaram e esperaram.
Segundo o secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, o caos foi provocado por vândalos que agitaram as pessoas dentro do trem, com pane em uma das portas, para que descessem e saíssem em caminhada pela perigosa via do Metrô.

A verdade é que o Metrô de São Paulo está um caos já há algum tempo. Atrasos, superlotação, panes, quedas de energia, objetos nas vias. O sistema de ar condicionado parece um insuflador de ar quente. Quando o trem ficou parado ontem era pouco mais de 18h15min. Sufocante, muito sufocante ficar naquele inferno que chamam de trens do Metrô.

A polícia e o secretário estão cada vez mais vendo fantasmas de agitadores em tudo. Vão comparar as imagens das manifestações nas quais teriam gravações de vândalos, com as imagens do Metrô para ver se são as mesmas pessoas. Há um clima de histeria sendo trabalhado, um plano de construção de pânico coletivo. Isso justificaria, pela lógica militarista dos governos, o uso da repressão, contra o mínimo caso de suspeita.

Na Inglaterra, esta histeria, levou a que um brasileiro fosse assassinado, nos EUA, milhares presos sem necessitar nenhuma ordem judicial, a polícia, a repressão passaram a ser soberanas e onipotentes.

Ontem, tivemos apenas uma amostra do que está por vir com a aproximação da realização da Copa do Mundo onde os trens, os ônibus, as favelas, as ruas estarão tomadas pelas forças repressivas. Não olhe, não respire, não fale, não ouça. Apenas obedeça ou sobre ti será lançada a mão implacável da ordem brutal, em defesa da paz e da liberdade, dos banqueiros, grande investidores, grandes marcas, da FIFA, dos mega-hotéis  e empresas de turismo.

E que fiquem todos respirando o enxofre do caldeirão do inferno nas profundezas das linhas do Metrô. Se saírem para respirar: vândalos, vândalos. E se te manifestar: terrorista, terrorista. E se fizer greve, Lei de Segurança Nacional, defesa da pátria, da ordem e do capital.

Tudo está sendo meticulosamente preparado, passando pelos Ministros da Defesa, da Justiça, STF, governo federal e governos estaduais. Tudo pela Copa! Apenas se esquecem que a cabeça das pessoas, depois da jornadas de junho de 2013, não estão mais dispostas a aceitar o silencio e a repressão. Reagirão.

A saída em massa dos usuários do Metrô ontem, caminhando pelas perigosas linhas, obrigou a que a eletrificação fosse desligada. Vândalos os conduziram a tal risco? Raciocínio de idiota! Seria impossível respirar dentro das câmaras ardentes das catacumbas do Metrô e o povo não é bobo. E por falar nisso, onde estão as saídas para evacuação segura em casos de necessidades? Ah, não existem? Mas existem falcatruas, corrupção, ah sim isso existe! Mas acima de tudo existe uma vontade férrea dos poderosos para manter os de baixo como ovelhas dóceis do rebanho. Os de baixo não querem mais ficar em baixo e nem ser ovelhas. Grandes mudanças se avolumam e quando as pessoas se organizarem nos bairros, nos locais de trabalho, o caminho da vitória contra a exploração e opressão estará assegurado.

Deixe seu comentário

Leia também...

A juventude no lançamento do livro Stalin, de Leon Trotsky

Repercussão do lançamento da edição brasileira em São Paulo No dia 4 de outubro de …