Início / Luta de Classes / Bayer: “Não criamos medicamentos para os indianos, mas para ocidentais que podem pagar”

Bayer: “Não criamos medicamentos para os indianos, mas para ocidentais que podem pagar”

Uma lição explicita de capitalismo
A companhia é uma das maiores do mundo, no setor medicamento e só produz, “para quem pode pagar”.

Uma lição explicita de capitalismo

A declaração acima foi dita pelo diretor executivo da empresa farmacêutica Bayer, Marijn Dekkers, publicadas pela revista, Bloomberg Business Week. A companhia é uma das maiores do mundo, no setor medicamento e só produz, “para quem pode pagar”.

Dekkers fez estas declarações em referência às novas licenças sobre a propriedade das patentes farmacêuticas, aplicada pelo governo da Índia, uma iniciativa que repercutirá favorável aos fabricantes locais para que produzam medicamentos genéricos a preços mais baratos e acessíveis para toda a população.

A medida está pensada para os tratamentos contra o câncer, o HIV e diabetes, segundo a revista, mas o governo indiano pretende ampliar para mais 20 medicamentos. As novas licenças permitirão a qualquer empresa do país asiático produzir essas mesmas fórmulas sem consentimento do titular da patente e sem receber o correspondente pago pelo seu uso. A medida tem como objetivo exercer pressão sobre os fabricantes para que estes baixem os preços e sejam competitivos com os genéricos, além de satisfazer as necessidades de seus cidadãos mais pobres.

Com essas licenças uma empresa local já tem elaborado o genérico de um anticancerígeno de Bayer, que custa 97% menos que o original. Mas esta iniciativa provocou a ira farmacêutica alemã, que decidiu recorrer à justiça da Índia argumentando que estas licenças constituem um roubo. No entanto, os doutores da organização ‘Médicos sem Fronteiras’ citados pelo jornal creem que este caso, “reflete a maneira perversa na que se desenvolvem hoje em dia os medicamentos. As farmacêuticas estão claramente concentradas em multiplicar os lucros, pressionando de uma maneira agressiva as patentes para elevar os preços”.

“Lamento que o que foi uma resposta rápida no marco de uma discussão tenha saído à luz de uma maneira que eu não pretendia. Não pode ser mais contrário ao que eu quero e ao que fazemos em Bayer”, disse depois Dekkers ao desculpar-se por suas declarações.

Fonte:  http://actualidad.rt.com/sociedad/view/117916-farmaceutica-bayer-medicamentos-pobres-india

http://www.businessweek.com/news/2014-01-21/merck-to-bristol-myers-face-more-threats-on-india-drug-patents

Deixe seu comentário

Leia também...

Dois projetos que privatizam a Educação Infantil em Florianópolis

Estão em tramitação na Câmara Municipal de Florianópolis dois projetos de lei que atacam frontalmente …