Início / Luta de Classes | Ver Mais / Assembleia na Escola Ferreira de Menezes, em Bauru, aprova moção por uma Greve Nacional da Educação

Assembleia na Escola Ferreira de Menezes, em Bauru, aprova moção por uma Greve Nacional da Educação

Estudantes, professores e funcionários debateram ataques promovidos pelo governo Temer com a PEC do Teto dos Gastos Públicos e com a Reforma do Ensino Médio.

Ocorreu na manhã desta terça-feira (8/11), no pátio da Escola Estadual Ferreira de Menezes, em Bauru, uma grande Assembleia com a comunidade escolar. Participaram estudantes, professores, funcionários, pais de alunos e convidados de outras escolas e movimentos sociais e sindicais.

Foi explicado aos presentes, pelos professores Tauan Matheus (Historia) e Carlos Quagliato (Matemática), com ajuda de projeção de slides, o que é a PEC 241/16, que no Senado ganhou a numeração 55/16. Essa congela os investimentos públicos por 20 anos, enquanto a MP 746/16 institui a Reforma do Ensino Médio.

Foi mostrado que as medidas de austeridade tomadas pelo Governo Temer no Brasil estão diretamente ligadas com as medidas de austeridade adotadas pelos governos em todos os países. O objetivo dessas é salvar o capitalismo, mantendo intactas as altíssimas taxas de lucro das grandes empresas e dos bancos, jogando a conta da crise mundial nas costas da classe trabalhadora e da juventude.

Os alunos também usaram a palavra, onde puderam explicar a importância de unir forças com os alunos de outras escolas, com os apoiadores do movimento estudantil secundarista, com pais, professores, sindicatos e demais movimentos sociais que estão em luta contra a austeridade imposta pelo Governo Temer.

Foi aprovada, por meio de votação, uma Moção de Apelo à APEOESP e a Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE). Foi pedido para que essas entidades se lancem na construção de uma Greve Nacional da Educação. Foi também deliberado apoio à paralização no dia 11 de novembro, que será o Dia Nacional de Luta convocado pelas Centrais Sindicais e Movimentos Sociais que ocorrerá das 8h da manhã as 17 horas em frente à Câmara Municipal. Também foi decidido apoio ao ato convocado pela APEOESP a ser realizada dia 08/10 na Praça da Paz, quadra 31 da Avenida Nações Unidas.

Esta atividade demonstra que é possível um mesmo espaço para discutir e debater a situação do país, da escola e educação pública, para que coletivamente se organize os meios de lutas contra estas medidas que se colocam contra os direitos e interesses da classe trabalhadora e da juventude.

Deixe seu comentário

Leia também...

A juventude no lançamento do livro Stalin, de Leon Trotsky

Repercussão do lançamento da edição brasileira em São Paulo No dia 4 de outubro de …