Início / Artigos / Argentina: Mariano Ferreyra, presente!

Argentina: Mariano Ferreyra, presente!

A Corrente Socialista ‘El Militante’ repudia o assassinato do jovem estudante e militante do Partido Obrero, Mariano Ferreyra, pelas mãos de um bando criminoso subordinado à burocracia sindical da União Ferroviária, dirigida por José Pedraza.

Repudiamos a burocracia sindical assassina! Mobilização e Paralização Geral!

Mariano e algumas dezenas de trabalhadores ferroviários demitidos, junto a integrantes de organizações populares, vinham da estação de Avellaneda, onde interromperam momentaneamente a via para chamar a atenção sobre as centenas de trabalhadores ferroviários que foram demitidos há 90 dias por exigirem sua efetivação. Quando realizavam essa atividade foram retirados do local a pauladas e pedradas pelo bando de lúmpens e burocratas da União Ferroviária (UF).

Não contentes com isso, depois que os trabalhadores e ativistas populares abandonaram o local, foram massacrados a tiros no Bairro de Barracas, com a conivência da polícia da região.

O jovem Mariano Ferreyra caiu mortalmente ferido com um tiro no peito e outra ativista, Elsa Rodríguez, está lutando entre a vida e a morte com um tiro na cabeça. Outros ativistas e trabalhadores foram feridos a bala, porém suas vidas não correm perigo.

Esses fatos, que causam indignação, mostram a podridão extrema da burocracia sindical que está aninhada na UF e em outros grêmios da CGT (Central Geral dos Trabalhadores), cujos dirigentes ostentam fortunas de milhões de pesos à custa de vender os direitos dos trabalhadores para melhor servir aos negócios dos patrões, e para converterem-se, eles mesmos, em empresários.

Também denunciamos a cumplicidade do governo nacional “kirchnerista” para com a burocracia sindical da CGT, com quem formou uma sólida aliança em todos os aspectos, inclusive na perseguição sistemática aos ativistas sindicais anti-burocratas, como ficou demonstrado nos conflitos atuais e passados no Metrô, Kraft-Terrabusi, Dana, Casino, Mafissa e em La Plata, apenas para mencionar os mais recentes. Nesse aspecto a oposição de direita (PJ duhaldistas, PRO, UCR e Coalizão Cívica) nada tem que reprovar do oficialismo, defendem o mesmo modelo sindical e patronal.

Saudamos a paralização de solidariedade decretada nesta tarde pelos trabalhadores do Metrô e da Linha Sarmiento, assim como o chamado da CTA da Província de Buenos Aires e da ATE Nacional, realizando paralizações nas províncias e em nível nacional, com mobilizações amanhã, Quinta-Feira.

A experiência demonstra que é mais que necessária a formação de uma frente sindical entre os combatentes anti-burocratas e os da CTA. Tal frente deveria levantar um programa básico pela democracia sindical com o fim de impulsionar correntes sindicais anti-burocráticas dentro dos grêmios da CGT e planejar medidas de auto defesa nos conflitos entre grêmios, baseando-se na mobilização de massas, com táticas mais corretas para ganhar a simpatia e o apoio ativo do conjunto da classe trabalhadora.

Quarta-Feira, 20 de Outubro de 2010.

* El Militante é a seção da Corrente Marxista Internacional (CMI) na Argentina.

Deixe seu comentário

Leia também...

Argentina: Mobilização para combater os capitalistas e seu ajuste

O governo federal avança a toda velocidade tentando impor o ajuste disfarçado de reforma. Assim …

Deixe uma resposta