Início / Artigos / Outras Análises | Ver Mais / Geral / Aonde “fica” Valter Pomar? (A propósito do artigo “A Esquerda Marxista e o PT”)

Aonde “fica” Valter Pomar? (A propósito do artigo “A Esquerda Marxista e o PT”)

Valter Pomar escreveu em seu blog uma crítica à posição adotada pelo Comitê Central da Esquerda Marxista de propor à sua Conferência a saída do PT. A posição de saída do PT foi amplamente discutida na Conferência e aprovada por unanimidade. 

Valter Pomar escreveu em seu blog no dia 16/04 (veja aqui) uma crítica à posição adotada pelo Comitê Central da Esquerda Marxista de propor à sua Conferência a saída do PT, acompanhando a trajetória que fizeram os trabalhadores e a juventude. A posição de saída do PT foi amplamente discutida na Conferência e aprovada por unanimidade. Quais os motivos que levaram a EM tomar esta posição?

Valter Pomar, que trabalha por categorias mais idealistas que materialistas, vê em nossa posição um “senso de oportunidade” e declara que no momento em que o PT é “atacado” pela direita, o dever de todos que tem “consciência” de classe é defender o PT. O problema que Valter não vê é que o PT é atacado, antes de tudo, pela sua direção que aplica uma política de colaboração de classes já há muitos anos e que esta política provocou o rompimento da base, dos trabalhadores e jovens, com o PT.

Valter não vê porque durante todos estes anos votou a favor das alianças com a burguesia e agora que esta política de alianças faz água e os trabalhadores abandonam o PT, Valter quer que eles voltem ao partido, sem que a direção mude a política.

Valter participa da direção de um partido que tem a coragem de escrever em sua última resolução o seguinte:

“O Partido dos Trabalhadores apoia o empenho da presidenta Dilma Rousseff para enfrentar os problemas fiscais do Estado brasileiro, mas considera vital que a política econômica esteja voltada para impedir que os efeitos desse ajuste recaiam sobre as costas dos trabalhadores e tenham caráter recessivo. O Diretório Nacional, nesse sentido, considera fundamental o mais amplo diálogo do governo com a sociedade (sobretudo com os movimentos sociais e centrais sindicais).

O DN também orienta nossas bancadas no Congresso Nacional, que já vêm trabalhando nessa direção, a ajudar no aprimoramento das medidas propostas pelo Ministério da Fazenda, a partir do princípio de que o custo de retificação das contas públicas deve ser assumido pelos mais ricos. A este respeito orientamos todas nossas bancadas nos estados e municípios a serem porta-vozes desta política.” (veja aqui a íntegra da resolução)

Esta proposta foi votada por todos do Diretório Nacional do PT! Nenhuma emenda que diga o que todo trabalhador percebe, que o ajuste fiscal feito por Dilma recai sobre as costas dos trabalhadores. Nenhuma palavra sobre o fato de Dilma ter mentido e descumprido a sua própria propaganda política, nomeando um banqueiro (Levy) para o Ministério da Fazenda e fazendo um ajuste (MP 664 e 665) que recai sobre as costas dos trabalhadores! Aliás, como o Ministro da Fazenda pode propor algo que não tenha o suporte da presidente da República que é do PT? Será que o Diretório não ouviu a presidente discursar que estas medidas são somente o “início” do ajuste?

O que Valter quer esconder é que a ofensiva da direita só é possível porque o PT ao invés de enfrentar a direita, compôs um governo com esta mesma direita e nomeou como articulador político do governo um membro desta direita. Em outras palavras, o que a resolução do Diretório Nacional do PT que Valter defende esconde, é que a direita é parte integrante e essencial do governo Dilma!

Valter Pomar, os marxistas apenas expressaram de forma consciente o que os trabalhadores estão fazendo nos últimos anos: sair do PT! Para nos juntarmos à juventude e a todos os operários que estão nas ruas contra as medidas contra os interesses dos trabalhadores que o próprio PT está promovendo!

Sejamos francos: se na situação atual houvesse uma reação real no interior do partido que se dispusesse a lutar contra a burguesia, esta reação poderia empolgar uma parcela da classe operária e da juventude e mudar os rumos. Mas, qual parlamentar pegou no microfone e declarou: “vou votar contra as Medidas Provisórias da Dilma! Convido a classe trabalhadora a passar por cima deste congresso e fazer o governo recuar”. Algum parlamentar do PT teve a coragem de dizer isso? Você, Valter, a sua corrente, está disposta a romper com este governo aonde o PMDB tem a articulação política e o Bradesco tem o Ministério da Fazenda para ajudar a classe trabalhadora a passar por cima deste congresso, deste governo e derrubar estas medidas provisórias? Ou vai ficar igual ao DN do PT que conclama os trabalhadores a lutar contra o PL 4330 da terceirização mas assiste, impotente, ao governo Dilma do PT negociar “acertos” no PL que garantam uma melhor arrecadação?

Você está disposto a levar uma luta pela Petrobras 100% estatal ou vai ficar desfraldando a bandeira de que a direita está querendo privatizar a Petrobras quando é o governo da Presidente Dilma que está fatiando e vendendo a Petrobras, fatiando e vendendo a Caixa Econômica Federal (começando com a área de seguros), ampliando as “concessões/privatizações”?

No debate sobre o teu artigo você desafiou os oponentes: a vida sobre o governo PT melhorou? Sim ou não? Respondemos: Lula fez a Reforma da Previdência atacando direitos dos servidores públicos e agora Dilma estende isso aos demais trabalhadores atacando pensões de viúvas. Lula vetou a decisão do congresso que acabava com o fator previdenciário e Dilma agora quer diminuir o seguro desemprego quando o desemprego aumenta. A vida “melhorou” por um breve período fruto da luta da classe trabalhadora e da situação econômica e agora que a situação econômica piora o governo do PT quer jogar a conta sobre as costas dos trabalhadores. E, depois de tanto esperar, os trabalhadores abandonam o PT e só você não quer ver.

Nós estamos saindo do PT para continuar o combate que sempre levamos: o combate pelo socialismo, pelos direitos dos trabalhadores, dos camponeses e da juventude. Nunca estivemos em nenhum cargo de Ministério ou de Estatal. Defendemos o PT – sem defender a política do governo PT – contra a direita e, aliás, vamos continuar defendendo. Sempre fomos contra o financiamento do partido pela burguesia e também contra o financiamento estatal. Somos contra o fundo partidário e acreditamos que o partido deveria devolver este dinheiro! Os oportunistas e aliancistas do partido, que sempre pegaram e manejaram este dinheiro, agora que a fonte secou, correram e transformaram o inevitável (fim do dinheiro de empreiteiras e outros para o PT) em “decisão política”. Claro, sem proibir que os “candidatos” individuais possam continuar recebendo recursos da burguesia. E Dilma aprovou o aumento do fundo partidário em mais de 300%.

Valter, a Folha de São Paulo, que é de direita, lembrou que se o salario mínimo tivesse o mesmo reajuste do fundo, ele hoje estaria em 77 mil reais! Os partidos, Valter, estão sendo estatizados enquanto saúde, educação, Banco do Brasil, Petrobras, Caixa Econômica, estradas, ferrovias, telefonia, eletricidade, agua, foi ou está sendo privatizado.

Você diz que no congresso do PT poderá haver uma virada à esquerda. Muito provavelmente o que veremos é uma virada à direita com a maioria do PT aprovando a “refundação” do PT que jogará no lixo o Manifesto de Fundação. Esta é a realidade que Lula já anunciou, completando a obra que vem fazendo nestes 13 anos de governo do PT.

Nós estamos saindo para continuar o combate pelo socialismo, por um mundo onde essa podridão que exala por todos os poros do estado seja varrida. E você, Valter? Continuará sustentando esta política que jogou os trabalhadores e a juventude para fora do PT?

Deixe seu comentário

Leia também...

Nildo Ouriques avalia posição sobre eleição 2018 do 6º Congresso do PSOL

Neste vídeo do companheiro Nildo Ouriques, está expressa a análise que nós da Esquerda Marxista …