Início / Artigos / Ao conhecimento de todos os companheiros proletários do Brasil

Ao conhecimento de todos os companheiros proletários do Brasil

DIANTE DA CONJUNTURA ATUAL, OS TRABALHADORES MINEIROS DA BOLÍVIA FAZEM CHEGAR O PRESENTE COMUNICADO

A FEDERAÇÃO SINDICAL DE TRABALHADORES MINEIROS DA BOLÍVIA, diante dos acontecimentos de hoje, permite-se pontuar o seguinte:

AUTONOMIAS DEPARTAMENTAIS

Esta consigna bem orquestrada pelo imperialismo tem a função de dividir a pátria, já que o conluio entre o Embaixador dos EUA, Filiph Goldberg, Branco Marincovik, Presidente do Comitê Cívico Cruceñista (sócio capitalista de empresários chilenos), a oligarquia de Média Lua e os partidos de direita, reciclados em PODEMOS, tendem a reproduzir o que aconteceu na ex-Yugoslávia onde o atual Embaixador dos EUA teve participação ativa no seu desmantelamento e na guerra civil entre sérvios e croatas (similar à luta de grupos étnicos tradicionais em nosso país).

Os anti-bolivianos no atual processo sentem falta do saque de nossos fabulosos recursos naturais e assimilam as lições de seu amo no separatismo proposto pela Oligarquia Cruceña e na criação do mal chamado Média Lua com argúcias e interesses que não convencem ao povo boliviano, pretendendo criar pequenas republiquetas com predominância sobre nossos recursos naturais não renováveis e que agora dizem ser defensores da democracia: democracia que o povo boliviano conseguiu com perseguições, greves de fome e confinamentos; no passado recente foram os que apoiaram às ditaduras militares, governos neoliberais que roubaram nossos recursos e isentaram de obrigações o Estado. Nosso povo manterá bem alto a defesa da democracia participativa e popular.

ASSEMBLÉIA CONSTITUINTE

Nas jornadas de outubro de 2003, os trabalhadores e o povo boliviano exigiam a criação de uma Assembléia Constituinte de onde saísse uma nova Constituição Política do Estado, que mudasse as estruturas políticas, econômicas e sociais. A população boliviana espectadora de atos vergonhosos desde o início da Assembléia, com a posição da direita de postergar as aspirações populares e das grandes maiorias de contar com uma nova Constituição sem discriminação e de interesse nacional.

Principalmente para reativar o Aparelho Produtivo de nosso país, o oficialismo presta-se a este jogo divisionista para não contar com um estado unitário, no qual as utilidades de nossos recursos Naturais não Renováveis sejam distribuídas equitativamente com quem vive excluído, durante as imposições políticas neoliberais. Nossa maturidade política nos força a alertar ao povo boliviano: pela unidade para salvar esta democracia participativa, salvar ao processo que nos encomendou as jornadas de outubro 2003 e continuar lutando na contramão das oligarquias que querem novamente retornar ao nefasto passado.

CAPITALIDADE

Sabendo que na Constituinte consta a discussão para incluir na nova Constituição Política do Estado as tais Autonomias Departamentais e Regionais, a fim de convulsionar nosso país, lançam a consigna de debater o poder pleno para a Sucre, impulsionada e financiada por essa minoria de oligarquias do oriente que querem a Chuquisaca para que esta fique ao seu alcance. e os incluir em sua banda separatista, sendo este um chauvinista.

Está demonstrado que: durante o auge da mineração implementou-se políticas solidárias para que as utilidades da produção mineira sejam distribuídas para todo o país e particularmente ao desenvolvimento do Oriente boliviano; desde a sede do Governo, jamais nos foi imposto ser egoísta com nossos irmãos dos departamentos mal chamados de Média Lua. Por todas estas considerações pedimos acabar com toda atitude divisionista e que se imponha a paz social para a solução de nossos problemas, pensamos que somos um país que queremos a unidade de todos os bolivianos

JULGAMENTO DE RESPONSABILIDADES DE TRIBUNOS

O povo boliviano está consciente de que os Tribunos foram coagidos dias antes da funesta saída de Gonzalo Sánchez de Lozada do Palácio de Governo, para criar um cerco no processo do Julgamento de Responsabilidades, estes Tribunos respondem a partidos políticos Neoliberales e Caducos. A imaturidade política em nosso país faz-nos ver que dentro do parlamento existem elementos improvisados e sem ética, muito menos respeitosos a quem nomeamos para ocupar esses cargos, porque de um tempo pra cá somos espectadores de atos que estão aliados com a moral.

Longe de ser uma palestra de discussão dos problemas que assolam o país e de legislar para o avanço de nossa sociedade, utilizam o parlamento para o enriquecimento ilícito com negociados, dietas acima do estatuído e atos de pugilato. Esse é o exemplo de políticos que não têm respeito pela pátria, que não respeitam suas próprias regras, as que regem nesse hemiciclo; por todos estes e outros maus antecedentes que têm os politiqueiros do parlamento exigimos a renúncia de todos os parlamentares titulares e que assumam o cargo de titularidade os suplentes correspondentes, não lhos pode premiar a quem fica mal a um dos poderes mas importantes do país como é o Legislativo, o qual deve se converter numa tribuna Revolucionária do povo para procurar a mudança estrutural do país.

La Paz, Setembro de 2007
FEDERAÇÃO SINDICAL DE TRABALHADORES MINEIROS DA BOLÍVIA. COMITE EXECUTIVO NACIONAL FSTMB

Deixe seu comentário

Leia também...

Por que a juventude precisa defender a revolução venezuelana?

Há um grande esforço da mídia em distorcer os acontecimentos na Venezuela, que é um …

Deixe uma resposta