Início / Artigos / Aniversário de 20 anos da Juventude Revolução

Aniversário de 20 anos da Juventude Revolução

A abertura do 12° Encontro Nacional da JR não poderia ser melhor. Na Flaskô, fábrica ocupada pelos trabalhadores, um ato político em comemoração aos 20 anos da JR abriu o encontro com jovens do Sul, Sudeste, Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil.

A fundação da JR foi em 1989 em um CONEB da UNE (Conselho Nacional de Entidades de Base da União Nacional dos Estudantes). Foi um ano turbulento mundialmente, marcado pelo massacre da Praça da Paz Celestial e a queda do muro de Berlim. No Brasil, a candidatura de Lula, com um programa de esquerda, propondo ruptura com o FMI e Reforma Agrária levou milhões às ruas.

Mas a queda do muro de Berlim inaugurou uma ofensiva ideológica contra as idéias de esquerda como nunca visto antes. Parte da esquerda abandonava a perspectiva da revolução. Um momento muito difícil, mas a JR continuou firme na luta pela revolução socialista sempre fazendo a ponte entre as lutas do dia-dia com a necessidade de derrubar o capitalismo.

No início a JR se apresentava como uma tendência estudantil que atuava centralmente na UNE e tinha como maioria de seus militantes jovens petistas. Mas aos poucos foi se implantando em outros setores da juventude, no Hip-Hop, artistas, juventude trabalhadora, etc. O surgimento da JR foi em parte da inexistência de uma verdadeira juventude petista, daí a idéia de criar uma juventude de luta e socialista, que atuasse no seio dos movimentos de massas da juventude.

O internacionalismo sempre foi um princípio marcante na JR. Entendendo que o capitalismo é um sistema político internacional e só pode ser derrubado internacionalmente, a JR de fato buscou a solidariedade com as lutas dos trabalhadores de todo o mundo realizando atos, abaixo-assinados, protestos em conjunto com outras lutas internacionais. Foi assim nas atividades contra as guerras imperialistas em 1999. A JR foi a principal impulsionadora da campanha contra os ataques da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) à antiga Iugoslávia.

Em 2003 a JR co-organizou um histórico festival de música contra a guerra do Iraque que contou com dezenas de organizações e milhares de pessoas na Praça da Sé em São Paulo.

A JR sempre foi uma organização militante, presente nas lutas do dia-a-dia da juventude. Foi uma das primeiras organizações a levantar a bandeira do Passe-livre Estudantil, quando as outras organizações de esquerda ainda defendiam o meio-passe. No Rio de Janeiro a JR esteve presente nas grandes manifestações que conseguiram o direito. Em Cuiabá (MT), a JR foi a principal organização na luta em defesa do Passe-livre, que se mantém como uma grande conquista até os dias de hoje. Estivemos presentes em vários cantos do Brasil organizando comitês contra os aumentos de passagens e pelo Passe-livre. Alguns meses atrás a JR ajudou a organizar grandes manifestações em Joinville (SC) contra os aumentos da passagem.

De uma tendência estudantil a JR se tornou uma organização de jovens bolcheviques. De lutadores e bons ativistas a JR se tornou um corpo de lutadores e ativistas que se propõe a ajudar os trabalhadores a transformar a sociedade. Esse foi o sentido da fusão da Juventude Revolução com a Esquerda Marxista, em 2008. Um salto de qualidade nas discussões da JR, que passa a se apresentar como organização de jovens da Esquerda Marxista e aprofunda suas relações com a luta dos trabalhadores internacionalmente através da Corrente Marxista Internacional.

Hoje a JR tem grandes tarefas pela frente. A começar pela batalha contra a racialização do Brasil (divisão do país em raças) e pela batalha de direitos iguais a todos independente de sua cor, religião ou concepção política. No movimento estudantil sua principal luta é contra o sucateamento da educação pública, por mais verbas, mais qualidade e por vagas para todos nas universidades públicas já! Internacionalmente as campanhas “Fora Tropas Brasileiras do Haiti” e “Tirem as Mãos da Venezuela” têm um papel importante, assim como a campanha em defesa dos empregos, por nenhuma demissão.

Mas, sem dúvida, a melhor forma de comemorar os 20 anos da Juventude Revolução é continuar a luta fazendo a ponte entre cada reivindicação da juventude com a necessidade de lutar pelo socialismo!

Confira como foi o 12º Encontro Nacional da JR

Leia a Declaração do 12º Encontro Nacional da JR

Veja as fotos do 12º Encontro Nacional da JR

Deixe seu comentário

Leia também...

Argentina: nossa posição diante das eleições primárias abertas

Atualmente, nós da classe trabalhadora, estudantes e camponeses vivemos uma forte investida da direita em …

Deixe uma resposta