Início / Artigos / Brasil / A revolta está aumentando!

A revolta está aumentando!

Um destes “grandes apresentadores de TV” que vive se promovendo com a miséria alheia e com a ação da polícia, achou que poderia faturar fácil em cima dos protestos de São Paulo e ainda ficar bem com a sua amada polícia.

Um destes “grandes apresentadores de TV” que vive se promovendo com a miséria alheia e com a ação da polícia, achou que poderia faturar fácil em cima dos protestos de São Paulo e ainda ficar bem com a sua amada polícia.

No ar o apresentador fez a pergunta que nenhum outro faria: “Você é a favor de protesto com baderna?”  – já que a maioria do povo é contra a baderna essa pesquisa seria uma maravilha! Mas os tempos estão mudando e estes senhores não conseguem perceber.

Supreendentemente para o apresentador, a revolução que já passou por baixo de barrigas de cavalos, agora avançou por cima da enquete pegadinha e agarrou o apresentador no contrapé, mais de 3/4 dos que responderam a enquete foram claros: sim, somos a favor de protesto com baderna, 2179 votos, contra 915 votos!

Haddad diz que não negocia. O Ministro da Justiça do PT, membro dileto da “Mensagem ao partido”, dá a sua mensagem: Diz não aos baderneiros e pede ajuda da PF para auxiliar o governador Alckmin (PSDB) a descobrir quem são os desordeiros.

E Haddad vai mais longe. Perguntado sobre o que fazia a Juventude do PT na manifestação, disse que essa era uma posição “individual”. Sim, eles querem a juventude quando se trata de apoiá-los, mas querem descartá-la quando ela defende os jovens. Belo exemplo! Dirigentes como estes, que se juntam à direita e à repressão, não devem ter lugar no PT.

A Esquerda Marxista tem clara a sua posição: a raiva do povo está estalando no mundo inteiro, na Suécia, no Brasil, na Turquia, no Chile. E nós estamos ao lado dos trabalhadores e jovens, na luta pelos direitos, na luta pelo socialismo.

Deixe seu comentário

Leia também...

Reforma política: Nosso dinheiro para Bolsonaro, iscas para a esquerda e barreira para as organizações de trabalhadores

Michel Temer sancionou na sexta-feira (6/10) a reforma política, que, entre outros absurdos, desvia um …