Início / Artigos / Outras Análises | Ver Mais / Sindical / A greve nacional da educação pode barrar a Reforma do Ensino Médio e a PEC de Temer

A greve nacional da educação pode barrar a Reforma do Ensino Médio e a PEC de Temer

Faz-se necessária a unificação dos estudantes e dos trabalhadores das escolas em uma greve nacional dos trabalhadores da educação contra a Reforma do Ensino Médio e a PEC 241/55.

O Governo Temer, desde antes de sua nomeação oficial, apesar de sua clara fragilidade, desfere ataque sobre ataque contra a classe trabalhadora. Não poderia ser diferente, ele só está ali para isso. É nesse sentido que a Reforma do Ensino Médio e a PEC 55 (antiga PEC 241) são pautadas ainda este ano como medidas que significarão o desmonte da escola e da saúde públicas no Brasil.

Em contrapartida aos ataques, vemos o maior movimento de ocupação de escolas da história do Brasil, mais de mil escolas (de acordo com a UNE) e mais de 100 universidades ou estão ocupadas ou decretaram greve geral de estudantes e trabalhadores da educação. O Governo Temer é frágil e já recuou de aprovar a reforma da Previdência ainda este ano. Contudo, pressionado pela burguesia, tenta empurrar goela abaixo a PEC 55 e a Reforma do Ensino Médio.

Ao contrário do que muitos afirmam, não vivemos uma onda conservadora no Brasil e nem no mundo e, sim, uma intensa polarização da luta de classes. A classe trabalhadora e a juventude não se sentem derrotadas, exatamente o oposto disso. Há resistência e luta. Porém, não são ações vanguardistas com fechamentos isolados de rodovias que resultarão em novo recuo de Temer ou mesmo em sua queda.

É preciso um incessante trabalho de base, esclarecimento de professores e jovens de todo o Brasil sobre a necessidade de luta da classe trabalhadora contra os ataques de Temer. Para isso, neste momento, considerando o fato que é o afluxo dos trabalhadores e da juventude contra a Reforma do Ensino Médio e a PEC 241, entendemos que devemos propor que a CNTE, a UNE e a Ubes convoquem todas as entidades estudantis e os sindicatos ligados à educação para a construção da Greve Nacional da Educação. A APP Curitiba Norte e a subsede Oeste-Lapa da Apeoesp já aprovaram moções pela greve geral, além de muitas escolas em todo Brasil.

Urge a unificação deste movimento em uma greve nacional dos trabalhadores da educação e estudantes contra a Reforma do Ensino Médio e a PEC55!

Deixe seu comentário

Leia também...

Trabalhadores paralisaram por condições de trabalho e solidariedade. Foto: Francine Hellmann

O que podemos aprender com a greve dos servidores de Joinville?

Os servidores municipais de Joinville, em Santa Catarina, fizeram, entre os dias 2 e 4 …