Início / Artigos / A Esquerda Marxista no congresso do Sintrasem

A Esquerda Marxista no congresso do Sintrasem

O artigo mostra o combate dos militantes da Esquerda Marxista para manter o Sindicato dos Servidores Municipais de Florianopolis filiado à CUT.

Com o eixo político “A crise do capitalismo e o impacto no serviço público” acontece em março de 2010, o 7º Congresso do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público de Florianópolis (Sintrasem).

Em preparação ao congresso acontecerão várias mesas de debate, para as quais todos os trabalhadores da Prefeitura e da Comcap (empresa de limpeza pública) serão convidados. Os debates serão sobre a Reforma da Previdência, Educação, Movimento Negro e as Leis Raciais, Saúde, Conjuntura e a Organização Sindical no Brasil, e contarão com representantes das forças políticas e trabalhadores que protocolaram teses ao congresso.

O Sintrasem foi dirigido por militantes da Esquerda Marxista, juntamente com independentes, durante 10 anos. Nas últimas eleições ocorridas em junho de 2009, a categoria decidiu por 41 votos de diferença fazer uma experiência com outro agrupamento formado pelo PSTU, PSOL e PCdoB. Como o Congresso é a instância de deliberação e orientação política das lutas do sindicato para os próximos dois anos, uma das principais discussões que enfrentaremos no congresso é a proposta de desfiliação da CUT.

Os militantes da Esquerda Marxista estão se preparando para esta batalha, discutindo politicamente com contatos e delegados ao congresso o que representa a desfiliação da CUT, única central com possibilidades reais de unificar a luta dos trabalhadores do campo e da cidade contra a retirada de direitos. Explicamos que estamos na linha de frente de sua defesa e dos princípios que a criaram. Portanto, combatemos contra as direções que jogaram e jogam no lixo sua história. Lutamos por uma direção que respeite as bases, independente dos governos e patrões e que impulsione a luta dos interesses dos trabalhadores. Defendemos o fim do Imposto Sindical.

São nossas palavras de ordem:

  • continuidade da participação do Sintrasem nos fóruns da CUT;
  • pela revogação das reformas da Previdência contra os fundos de pensão;
  • pela manutenção e ampliação dos direitos;
  • em defesa dos serviços públicos;
  • ruptura com o capitalismo, pela construção do socialismo.
  • Com estas propostas estamos em permanente diálogo com os trabalhadores, preparando a luta e construindo nossa organização.

    Deixe seu comentário

    Leia também...

    Argentina: nossa posição diante das eleições primárias abertas

    Atualmente, nós da classe trabalhadora, estudantes e camponeses vivemos uma forte investida da direita em …

    Deixe uma resposta