A confusão imperialista

Enquanto a OTAN se reúne para ameaçar a Rússia o Financial Times está em campanha para que os EUA ataquem o Estado Islâmico (ISIS) diretamente na Síria. O título é “Cresce o número de americanos dispostos a aceitar a intervenção militar”.

Enquanto a OTAN se reúne para ameaçar a Rússia o Financial Times está em campanha para que os EUA ataquem o Estado Islâmico (ISIS) diretamente na Síria. O título é “Cresce o número de americanos dispostos a aceitar a intervenção militar”.

Geoff Dyer, em Washington, diz que a decapitação dos dois jornalistas está ajudando a fazer o que as “armas químicas da Síria, a agressão de Vladimir Putin e a ascensão militar da China não conseguiram fazer – um público americano mais disposto a aceitar a ação militar no exterior”.

 “Se a tendência continuar, tornaria politicamente mais fácil para Barack Obama começar uma campanha militar na Síria contra o Estado Islâmico do Iraque e do Levante”.

Mas, reconhecem que “as velhas preocupações sobre ficar muito envolvidos em guerras no Oriente Médio ainda estão lá”.

O FT também mostra as divisões internas do imperialismo. Obama está confuso sobre como ir atrás do ISIS, na Síria, enquanto o vice-presidente Joe Biden diz que os EUA vão “segui-los até os portões do inferno!”.

A confusão e a divisão nas elites estão sendo sentidas pelos trabalhadores. Em determinado momento sentirão que devem eles mesmos resolver os negócios do país.

Aí, o dragão vai fumar! 

Deixe seu comentário

Leia também...

Defender a Revolução Russa e suas lições para a atualidade

Cem anos após a Revolução Russa, a burguesia tenta distorcer o seu legado, ligando a …