Início / PT / 11 de setembro – o extremismo de Dilma e Obama

11 de setembro – o extremismo de Dilma e Obama

Luiz Bicalho

Dilma escreveu uma carta, por ocasião do 11 de setembro, onde expressa nossa solidariedade e pesar à nação norte-americana, no dia em que se completam dez anos dos atentados terroristas de 11 de setembro”. Dilma, depois de prestar condolencia pela morte de mais de 3.000 pessoas, de parabenizar o povo americanos pela “coragem exibida”, termina a carta com uma pérola:

“partilho plenamente a visão de Vossa Excelência, expressa em discurso na cidade do Cairo, de que o extremismo violento deve ser combatido em todas as suas formas, inclusive por meio da reconciliação entre o ocidente e o mundo árabe, pela eliminação do armamentismo nuclear, pela afirmação da democracia, pelo respeito à liberdade religiosa e aos direitos humanos e da mulher, pela promoção do desenvolvimento econômico e a criação de oportunidades para todos em um mundo de paz e cooperação. Conte com o Brasil na construção dessa ordem internacional mais pacífica e mais justa.”

Esta carta é de uma covardia e um ataque brutal a todos que hoje lutam pela liberdade, que lutam pelo socialismo. Afinal, Dilma que lutou contra a ditadura militar esqueceu o outro 11 de setembro, o golpe de Pinochet? Esqueceu que a “coragem” exibida, foi o covarde ataque ao Afeganistão e ao Iraque, sendo que no Iraque foram entre 100 mil e 1 milhão de mortos em “vingança”? Esquece Dilma que o próprio povo dos EUA sofre sobre o tacão da lei de defesa, que permite a prisão de qualquer cidadão dos EUA suspeito de terrorismo sem comunicação a justiça e aos seus familiares? Esquece Dilma que no próprios EUA de hoje foi revogada a lei que impedia que a polícia utilizasse a raça como critério de suspeita em crime, retrocedendo aos idos pré-68, em nome do combate ao terrorismo? que hoje lá o Exército pode atacar o povo, em nome da luta contra o terrorismo, revogando uma lei que remonta ao século XIX? 

Esta é a liberdade que Obama quer implantar a ferro e fogo no mundo inteiro. Tal qual um moderno Figueiredo, que ficou conhecido por aquela frase: “quem for contra a democracia, eu prendo e arrebento”, o governo imperialista prende e arrebenta no mundo inteiro quem é contra a “sua democracia”.  Guantanamo está ai para lembrar a todos disso, a abertura dos arquivos do ditador da Libia, Kadaf, mostrou que lá também eram torturados prisioneiros levados pela CIA (e agora posam de bonzinhos caçando Kadaf pelos desertos). 

Gostaria de escrever: Companheira Dilma, corrija-se! Mas acho que usar o companheira seria uma triste ironia frente a esta carta.

Deixe seu comentário

Leia também...

Resposta de Ulrich a Carlito Merrs, prefeito de Joinville

Carlito Merss, atual Prefeito de Joinville, em entrevista ao jornal Notícias do Dia, edição de …

3 Comentários

  1. E para o Chile, onde foi assassinado Salvador Allende, não enviou nenhuma carta?

  2. A presidente tá de tiração com todo movimento Socialista Brasileiro!!!
    Isso demonstra que nossa dirigente nacional está querendo fazer média com os EUA, para isso abdica de sua capacidade critica com relação aos levantes imperialistas dos EUA.

    Os EUA estão interessados apenas no petróleo libio, minha mãe já dizia que quando a esmola é boa o santo desconfia, ou seja, pensar que a OTAN está distribuindo ótimas armas aos rebeldes apenas para derrubar Kadafi é muita ingenuidade, já que a OTAN (Que faz parte a Inglaterra) "adora" os rebeldes da Libia, por que não distribuem armas para os rebeldes dentro de seu próprio território?

    Quem não favorece ao imperialismo Norte Americano, é considerado Ditador, Tirano, é satanizado pela midia mundial e isso Dilma não quer.

    Abre o Olho Dilma, para não trair o seu povo!

    Twitter: @adrianoleres

  3. Aos que comentaram: nossos agradecimentos.
    Vamos abrindo caminho na luta e fortalecendo os que ficam pé no socialismo.
    Se desejarem continuar o diálogo entrem em contato: wanderci.bueno@gmail.com